Foto: PC / Divulgação / Agora Laguna

No fim de tarde desta segunda-feira, 10, a Polícia Civil de Santa Catarina em ação conjunta com a Polícia Militar (PM) e com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) deflagrou a Operação ‘Ultimo Pôr do Sol’ para cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão em uma mansão na Praia do Sol em Laguna.

As investigações iniciaram em junho a partir da apreensão de 32 quilos de maconha no bairro Araçatuba em Imbituba, realizada pela Polícia Rodoviária Federal, com as pessoas fugindo do local. A droga estava em um veículo Peugeot, clonado e já apreendido.

A partir disso, com a troca de informações entre os setores de inteligência da Polícia Civil, PRF e PM, chegou-se à identidade dos possíveis sujeitos que guardavam a droga na residência e que estavam foragidos da justiça, além de terem passagens por diversos delitos, chamando a atenção para o crime de roubo à mão armada e tráfico de drogas, em cidades como Itajaí e Navegantes.

De acordo com as investigações, foi apurado que se tratava de uma complexa organização criminosa especializada na prática de roubo, receptação e atuava distribuindo expressiva quantidade de drogas na região de Imbituba.

Após intenso trabalho investigativo, foi descoberto que o grupo estava escondido em uma mansão na Praia do Sol, em Laguna, onde as equipes passaram a monitorar a movimentação.

Foram cerca de cinco dias de observação para a escolha do momento oportuno para deflagrar a operação, sendo que era no final de tarde em que se encontrava maior número de pessoas e movimentação na residência.

Ao todo, foram cumpridos quatro mandados de prisão, um mandado de busca e apreensão, além de cinco prisões em flagrante por organização criminosa, associação para o tráfico, tráfico de drogas, receptação, porte ilegal de arma de fogo com numeração suprimida, falsa identidade e uso de documento falso. Segundo apurou Agora Laguna, um veículo VW Gol, clonado, também foi apreendido.

“O sucesso da operação é resultado do trabalho integrado e da troca de informações entre as diversas instituições de segurança pública. No caso, informações prestadas pelas polícias Rodoviária Federal e Militar à Polícia Civil foram fundamentais para o sucesso da ação”, avalia o delegado Nicola Patel Filho, que coordenou as investigações que continuam.