Divulgação/HCSBJP/Agora Laguna

Inaugurados na última sexta-feira, 13, os dez leitos de terapia intensiva (UTI) do Hospital de Caridade Senhor Bom Jesus dos Passos de Laguna foram abertos nesta segunda-feira, 17, de maneira oficial. A partir de agora, começa o processo de credenciamento dos leitos para que a casa hospitalar possa ser conveniada da União para receber recursos de manutenção.

A contagem dos prazos para a credenciamento passam a valer a partir de hoje, pois um dos leitos já conta com paciente: uma mulher de 76 anos, moradora de Laguna, internada nesta tarde em estado grave. Por protocolos internos, o hospital não irá informar o resultado do teste da idosa.

Nesse primeiro momento, a UTI será exclusivamente para atender pacientes que têm confirmação de contágio pelo novo coronavírus. A doença já infectou mais de 500 moradores de Laguna, segundo últimos boletins.

A manutenção dos custos será feita até dezembro pelo governo do Estado com soma de recursos próprios e federais. No ano seguinte, a responsabilidade de arcar com os custos passa para o hospital.

Processo de credenciamento

Desde quinta-feira, o hospital já faz conversas com o sistema de regulação estadual e com os órgãos públicos para agilizar o credenciamento dos dez leitos, havendo paciente ou não. Isso permitiria que o processo de habilitação começasse mais cedo, já que ele passa a valer a partir do momento em que há internação de paciente.

A pandemia reduziu o tempo de habilitação, explica Tatiana. “No momento em que estamos vivendo, os prazos estão curtos e levam em média de 15 a 20 dias e a gente acredita que até lá deve estar tudo resolvido”, detalha.

Foto: Elvis Palma

UTI levou seis anos para ficar pronta

Foram 13 anos entre o projeto de 2007 e a inauguração da UTI, que já era esperada muito antes da iniciativa. Seis anos atrás, começou a reforma do terceiro andar da instituição, que abriga os leitos.

“Foram semanas trabalhadas e é um sonho da cidade há muitos anos, e o sentimento é de dever cumprido e podemos dizer em tempo recorde, já que tivemos menos de 30 dias para organizar o setor de terapia intensiva”, comemora a presidente do hospital, Tatiana Mansur Blosfeld.

Toda a equipe já foi recrutada e atua desde a semana anterior à inauguração, fazendo treinamentos para efetivação do setor. “Tudo está completo. Na parte de equipamentos não está faltando nada, os últimos chegaram nessa semana”, acrescenta a médica.

A UTI abre com estoque considerável de medicamentos, mas, reconhece Tatiana, essa tem sido a parte mais crítica da manutenção do setor, já que há falta de insumos no mercado devido à alta procura.

A construção dos leitos foi realizada com diversos convênios desde 2014, vindos de emendas parlamentares estaduais e federais. O recurso final foi disponibilizado pela prefeitura municipal em convênio no valor de R$ 476 mil, aprovado em maio.