Foto: Sther Pessoa/Laboratório de Zoologia-Udesc Laguna

Está aberta a partir desta quarta-feira, 1º de de julho, a temporada de observação de baleias-francas no litoral Sul de Santa Catarina. Nesta época do ano, a espécie migra das regiões gélidas da Antártida procurando águas mais quentes e calmas para reprodução e para parir e amamentar filhotes.

Desde a semana passada são vistas baleias no litoral catarinense. O primeiro avistamento confirmado foi em Florianópolis, mas já há registros no Mar Grosso em Laguna e na praia do Rosa, em Imbituba. Nesta quarta-feira, os alunos do Laboratório de Zoologia (Labzoo) da Udesc de Laguna flagram uma baleia no Mar Grosso.

Como mostrou o Portal Agora Laguna, as cidades de Laguna, Imbituba (detentora do título de capital nacional da espécie) e Garopaba, que formam a Rota da Baleia Franca (RBF), por serem os únicos locais onde é possível avistar baleias e seus filhotes por terra, estão confiantes e creem que será o passo inicial da recuperação do turismo, duramente afetado pela pandemia do novo coronavírus.

Para observar uma baleia, não é preciso uma embarcação. O turista escolhe um ponto mais elevado, podendo ser duna ou um costão, e acompanha o espetáculo da natureza – mas com cuidados para impedir a propagação do coronavírus. “Estamos seguindo protocolos estaduais e orientações municipais, realizando treinamentos com as nossas equipes e colaboradores. Mas continuamos nosso trabalho de promoção, pois sabemos que a temporada da Baleia Franca, será a temporada da retomada do turismo em Santa Catarina”, comenta o coordenador da RBF, Felipe Uzascki.

Berçário natural para a baleia-franca, as três cidades e mais outros seis municípios fazem parte de uma unidade federal de conservação: a Área de Proteção Ambiental (APA) da Baleia Franca. Apesar de abranger nove cidades, é em Imbituba, Laguna e Garopaba que aparecem o maior número de animais da espécie Eubalena australis.

A RBF também alerta que para saber o ponto ideal para avistar baleias e filhotes, é recomendado que o turista – principalmente se vier de fora da rota – busque atendimento de guias de turismo atuantes na região. Em seu site (acesse aqui), é disponibilizado uma relação de profissionais e agências de turismo especializadas que vão auxiliar o turista.

Foto: Sther Pessoa/Laboratório de Zoologia-Udesc Laguna