Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna

As 18 cidades da região da Amurel irão de fato adotar medidas mais duras para enfrentar o avanço veloz do novo coronavírus, que já infectou mais de três mil moradores na região. A confirmação veio em coletiva de imprensa transmitida pela internet na manhã desta quarta-feira, 15.

A decisão vinha sendo construída durante a noite do dia anterior. Tubarão anunciou no fim da tarde de terça-feira, 14, que defendia o fechamento total (lockdown, na sigla em inglês) e levou o conceito para debate em assembleia extraordinária com todos os chefes de Executivo. Apesar de ventilada a possibilidade, a ideia ficou para um segundo plano, como havia informado o prefeito de Laguna, Mauro Candemil (MDB), ao Portal Agora Laguna, após a reunião de ontem.

Entre as medidas que serão adotadas estão o fechamento do comércio por nove dias a partir da meia-noite de quinta-feira, 16, em todas as cidades. Um decreto deve ser divulgado nas próximas horas oficializando a medida, com a especificação do que pode e o que não pode abrir. “Vamos fazer um esforço coletivo”, sustentou o presidente da Fundação Municipal de Saúde de Tubarão, Daisson Trevisol.

Prefeitos defendem medidas duras

O prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli (PP) reconheceu a dificuldade de tomar uma decisão dura como essa e em tom alarmante, voltou a cobrar do governo do Estado a ativação de mais leitos de terapia intensiva na região. Ao menos dois hospitais Senhor Bom Jesus dos Passos (Laguna) e São Camilo (Imbituba) têm leitos aguardando ativação.

Candemil endossou o pedido e reclamou durante a transmissão da demora por parte do Estado em responder sobre o auxílio para que a abertura dessas UTIs sejam efetivadas. “Precisamos da habilitação de novos leitos”, pediu Ponticelli, que emendou: “Não queremos caminhão frigorífico estacionado ao lado do hospital”.

Gestores dos hospitais Nossa Senhora da Conceição e Socimed, de Tubarão, expuseram outra dificuldade: além da falta de leitos, há escassez de profissionais já que os alguns médicos e enfermeiros tiveram de ser afastados por contaminação.

Robson José Back (PP), prefeito de São Martinho, sinalizou que concordava com a medida de Tubarão. “Ainda não recebi a recomendação, mas vamos seguir o que estiver escrito. Por mais que eu não concorde com algumas situações, temos que cumprir o que está na lei e se adequar”, frisou. “É um remédio amargo, sim, mas que é preciso”, argumentou o prefeito Nivaldo Souza (PSB), de Capivari de Baixo.

Os prefeitos seguem orientação do Ministério Público e têm tomado decisões em conjunto. “Temos que ter coragem de tomar essas decisões, porque tratamos de vidas”, afirmou Candemil.

Possibilidade de lockdown causou divergências

No entendimento do prefeito de Braço do Norte e ex-presidente da Amurel, Roberto Kuerten Marcelino (PSD), para que um método como o fechamento total fosse adotado deveria haver estudos. “Queria uma justificativa técnica comprovada. A omissão é do governo do Estado. O comandante que temos não é um comandante”, disparou, criticando a ausência do poder público estadual.

Grão-Pará seguiu a mesma linha. O prefeito Marcio Blausius (PP) disse que só fecharia o comércio da cidade com estudos e com respaldo jurídico. Falando por Gravatal, o prefeito Wanderlei Marega (MDB) opinou pela continuidade das medidas em vigor atualmente. “Preferimos prorrogar um pouco mais”, resumiu.

Ex-presidente da Amurel e prefeito de Imbituba, Rosenvaldo Junior (PSB) não deixou claro a posição do município portuário, mas acenou para a necessidade de reforçar o isolamento social.

Região passa de 3 mil confirmações

Os números mais recentes, informados nesta terça-feira, 14, mostram que a cidade já passou das três mil pessoas infectadas com novo coronavírus registrou 25 mortes em decorrência do vírus. As estatísticas nos 18 municípios são:

  1. Tubarão – 944 casos totais (603 curados e sete mortes)
  2. Braço do Norte – 574 casos totais (411 curados e três mortes)
  3. Imbituba – 523 casos totais (421 curados)
  4. São Ludgero – 244 casos totais (189 curados e duas mortes)
  5. Capivari de Baixo – 222 casos totais (150 curados)
  6. Gravatal – 176 casos totais (76 curados e três mortes)
  7. Laguna – 136 casos totais (60 já curados e duas mortes)
  8. Jaguaruna – 97 casos totais* (uma morte)
  9. Pescaria Brava – 80 casos totais (46 curados e duas mortes)
  10. São Martinho – 73 casos totais (40 curados e uma morte)
  11. Sangão – 67 casos totais (59 curados)
  12. Armazém – 55 casos totais*
  13. Rio Fortuna – 36 casos totais* (duas morte)
  14. Grão-Pará – 31 casos totais (12 curados e uma morte)
  15. Imaruí – 29 confirmados (sete curados)
  16. Treze de Maio – 20 casos totais*
  17. Pedras Grandes – 17 casos totais (13 curados e uma morte)
  18. Santa Rosa de Lima – nove casos

número de curados não informados

Reveja a coletiva da Amurel