Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna

Daqui seis dias, a cidade de Laguna comemora seu 344º ano de fundação. Em 2020, diferente dos anos anteriores, o município não poderá fazer uma festa para comemorar a data, em decorrência da pandemia do novo coronavírus. Por isso, o município decidiu apostar nas mídias digitais como forma de não deixar o aniversário passar em branco.

Uma programação virtual montada com os contemplados e remunerados pelo edital de fomento Casa de Anita, criado para amenizar o impacto das restrições sociais no setor cultural, vai destacar personagens da cidade.

“A ideia é que a gente comemore o que Laguna tem de melhor, que são a sua cultura e arte e em casa. Temos uma programação bem variada e estamos bem animados”, comenta a presidente da Fundação Lagunense de Cultura (FLC), Mirella Honorato. O Curta Laguna em Casa também tem organização da Secretaria Municipal de Turismo e Lazer.

Documentários e vídeo-performances poderão ser conferidos no canal do Youtube da FLC (acesse aqui), que também programou uma live musical gerada na Casa de Anita, comandada pela banda Alex & Brothers, que recentemente produziu a Santa Live. No dia do aniversário do município, às 6h, uma salva de canhão com 21 tiros vai marcar a data.

“É um grande prazer poder falar um pouco do meu trabalho, da paixão pela fotografia e a pesca artesanal, que antes era o meu hobby”, avalia o fotógrafo Ronaldo Amboni, que foi personagem de um dos documentários.

“Estamos ensaiando um repertório especial para esta live. Achamos que irá surpreender tanto as músicas quanto as participações que serão mais que especiais e temos a certeza que todos irão adorar, mas terão que assistir para descobrir”, antecipa o músico Alex Vieira. “A ideia é juntar alguns vídeos da cidade e falar mais sobre Laguna. É uma forma de aproveitar a apresentação, que seria inicialmente somente com músicas e fazer uma divulgação também da nossa história e cultura”, completa.

Confira a programação

Segunda – 27 de julho
  • Documentário – Os teatros de Laguna e suas histórias de amor. Produção de Alê Costa Oliveira, que conta a trajetória dos grupos lagunenses de teatro GEMT e Terra.
  • Mini-documentário – A pesca com botos através das lentes de Ronaldo Amboni. Produção da Karacol Filmes, que fala da paixão do fotógrafo Ronaldo Amboni em retratar a pesca artesanal com botos.
Terça – 28 de julho
  • Vídeo-performance – Habitar-se. Apresentada por Juliana Rigazolli, fala do cotidiano de sobreposições de mulheres-mães-trabalhadoras durante a pandemia, com seus desejos e limitações, na busca de tempo para si.
  • Mini-documentário – Trajetória em passos. Produção da Karacol Filmes, mostra a dança, o ritmo e a trajetória do professor e bailarino Dejair Borges, fundador do Studio Voga e Companhia Lagunense de Dança.
Quarta – 29 de julho (Aniversário do município)
  • Salva de 21 tiros de canhão. Tradicional celebração que marca o aniversário da cidade.
  • Mini-documentário – As mãos das guerreiras. Produção da Karacol Filmes, destaca o trabalho de confecção da boneca de Anita Garibaldi pelas artesãs Maria Adelaide de Amaral Martins e Júlia Guedes, com enfoque na sua luta cotidiana para sobreviver nesse ramo.
  • Live musical – Casa de Anita in rock. Lideradas pela banda Alex & Brothers, que junto de convidados apresenta diferentes composições clássicas do rock’n’roll e MPB, diretamente do jardim da Casa de Anita. Serão intercaladas apresentações musicais com visita ao vivo no espaço, mostrando o acervo e a história da heroína.
Quinta – 30 de julho
  • Vídeoarte poética – O olhar que vê através do nariz do clown. Cineasta e palhaço Andruz Vianna percorre diferentes espaços da cidade retratando a nova realidade de regiões antes amplamente visitadas revelando o encanto de uma natureza agora inóspita e solitária.
  • Mini-documentário – O melhor está por vir: detrás da cena. Produção da Karacol Filmes e roteirizado por Eder da Silva Roque, a película apresenta os bastidores do espetáculo O melhor está por vir, apresentado pela Companhia Lagunense de Dança, em 2019.
Sexta – 31 de julho
  • Mini-documentário – O Linn e a Queen. Produção da Karacol Filmes, conta a transformação do artista Elison Linchiesten na drag-queen Dj Emmy Minogue.
  • Mini-documentário – Da música à poesia. Montado por Arnaldo Russo, o audiovisual mostra o músico e compositor Raul Silter, falando do seu espaço afetivo de memórias e de como seu cotidiano inspira a necessidade de comunicação: se expressar para aliviar suas amarras e conseguir sentir a transcendência como humano.
  • Mini-documentário – Entre a diáspora e a pólvora. Também produzido por Arnaldo Russo, o produto apesenta como tema um pouco do processo de composição e do cotidiano de Preto Lauffer, em busca da expressão de suas palavras e ideias. De forma breve, o poeta reflete um pouco sobre o tempo que vivemos e da sensação de se ver sufocado em meio aos espaços que circula, mesmo esperando uma reconstrução social.