Editoria da arte

A internet é um campo aberto que permite várias possibilidades de uso, inclusive para ações mal-intencionadas. A mais recente envolve os clubes do Rotary Internacional em todo o país. Uma texto que circula em redes sociais e aplicativos de mensagem informa que a entidade está distribuindo cestas básicas àqueles que fizerem um cadastro.

Ao clicar no link, a pessoa é redirecionada para um formulário. Ao abrir a página, uma saudação diz que a entidade “está doando cestas básicas para famílias afetadas pela crise em todas as cidades do Brasil”. A pessoa é incentivada a preencher dados pessoais como endereço, nome completo, etc.

A página falsa é hospedada no endereço (cadastro.cesta-solidaria.com/inscricao.html) e às 9h30, estava fora do ar, quando a reportagem tentou acessá-la. Originalmente, o link enviado por aplicativo citava o nome do Rotary no endereço.

Editoria da arte

Portal Agora Laguna foi procurado por internautas que clicaram no link encaminhado e também pelos Rotary Club Laguna e República Juliana, únicos existentes no município, para esclarecer a respeito da circulação da mensagem.

Segundo as duas entidades, o texto não passa de uma notícia falsa com mecanismo para capturar dados pessoais dos mais desavisados. Ambas as entidades esclarecem que não estão realizando ações de distribuição de cestas básicas no momento.

Cestas básicas

Por outro lado, a Secretaria de Assistência Social de Laguna anunciou há alguns dias que irá distribuir quatro mil cestas básicas durante três meses, após ter recebido recursos do Fundo de Infância e Adolescência (FIA) da Comarca de Laguna para aquisição dos mantimentos.

A entrega será feita às famílias cadastradas que passarão por entrevista antes receberam a concessão do auxílio alimentício. Já as famílias em vulnerabilidade social que não têm inscrição devem entrar em contato através do telefone (48) 3644-4947, das 9h às 16h.

Cada cesta terá 14 produtos que irão compor a cesta: arroz, feijão, leite, farinha de trigo e de mandioca, massa, fubá, óleo, margarina, sal, biscoito, açúcar e café em pó.

Notícias falsas

Numa era de propagação enorme de informações, principalmente com a facilidade instantânea de compartilhamento de notícias, as pessoas não estão livres do surgimento de notícias falsas, ou, como se popularizaram, fake news.

A divulgação de informações inverídicas não possui uma legislação ou artigo em código penal específico no Brasil, entretanto, quem se considerar vítima de uma notícia falsa, pode procurar medidas judiciais cabíveis, visando responsabilizar o autor ou o republicador da mentira. Os casos podem resultar em punição criminal ou indenização reparatória.

Na dúvida, procure sempre pesquisar na internet alguma notícia relacionada, muitos portais e sites se tornaram especializados em desmistificar essas fake news. Caso a resposta não esteja online, procure outro meio de comunicação, como rádio, jornal, incluindo televisão, se a sua região estiver abrangida por esses veículos.