Divulgação

O 22º caso de coronavírus positivo em Pescaria Brava foi confirmado na noite desta segunda-feira, 22. A maior parte dos diagnósticos positivos divulgados nas últimas duas semanas foram feitos em cidades vizinhas por meio de testagens rápidas em empresas privadas. O novo caso é de um homem, 35 anos, residente na comunidade de Siqueiro.

Desse total, dez pacientes já estão recuperados – cumpriram o isolamento social e receberam alta. Três dos casos já curados são de crianças entre um e dez anos de idade. Barreiros é o bairro com mais casos confirmados, com nove, e também o que mais teve pacientes com alta, cinco. Atrás, vem Laranjeiras, com quatro pessoas já curadas da Covid-19.

Para o secretário de Saúde, Henrique Castro de Souza, o momento é de atenção. “Faça a sua parte para evitar a proliferação do vírus. Lave as mãos com frequência ou higienize com álcool em gel, use máscara, mantenha distanciamento e, se possível, fique em casa. Juntos iremos vencer essa pandemia”, pede o gestor.

Os números de Pescaria Brava informam que, atualmente, há quatro casos suspeitos aguardando os resultados dos exames feitos pelo Laboratório Central (Lacen) de Santa Catarina. Foram descartados 68 casos após monitoramento e 76 moradores tiveram resultado negativo para a doença.

Panorama por bairro

O município também detalhou as localidades que têm casos de coronavírus confirmados ou recuperados em Pescaria Brava. Segundo a prefeitura, este é o panorama:

Barreiros
  • Mulher, de 59 anos, recuperada;
  • Mulher, de 36 anos, recuperada;
  • Homem, de 29 anos, recuperado;
  • Homem, de 56 anos, recuperado;
  • Menino, de 1 ano e 3 meses, recuperado;
  • Mulher, de 35 anos, em isolamento, cumprindo quarentena;
  • Mulher, de 36 anos, em isolamento, cumprindo quarentena;
  • Homem, de 37 anos, em isolamento, cumprindo quarentena;
  • Homem, de 28 anos, em isolamento, cumprindo quarentena.
Laranjeiras
  • Homem, de 36 anos, recuperado;
  • Homem, de 33 anos, recuperado;
  • Menina, de 10 anos, recuperada;
  • Menina, de 4 anos, recuperada;
  • Mulher, de 30 anos, em isolamento, cumprindo quarentena.
Siqueiro
  • Homem, de 35 anos, em isolamento, cumprindo quarentena.
  • Homem, de 53 anos, em isolamento, cumprindo quarentena.
Varginha
  • Mulher, de 31 anos, em isolamento, cumprindo quarentena.
Taquaraçu
  • Mulher, de 43 anos, recuperada.
Santiago
  • Homem, de 59 anos, em isolamento, cumprindo quarentena;
  • Homem, de 45 anos, recuperado;
  • Homem, de 23 anos, recuperado.
Estiva
  • Homem, de 49 anos em isolamento, cumprindo quarentena.

SC: 17,7 mil casos confirmados

O novo panorama do avanço do coronavírus indica que há 17.937 pacientes com teste positivo para Covid-19, sendo que 14.824 estão recuperados e 2.857 continuam em acompanhamento. Os números são desta segunda-feira, 22.

Conforme os dados, já foram registradas 256 mortes no estado desde o início da pandemia. A taxa de letalidade atual é de 1,43%. Entre os óbitos recentes estão o de uma mulher de Campos Novos, 66 anos, com comorbidades; um homem de Vargem, 38, sem comorbidades; uma mulher de São João Batista, 81, com comorbidades; um homem de Joinville, 52, sem comorbidades; uma mulher, 49, e um homem, 70, os dois de Itajaí e sem comorbidades; uma mulher, 73, com comorbidades e um homem, 83, sem comorbidades, os dois de Camboriú; um homem de Urussanga, 67, com comorbidades; e uma mulher de Balneário Camboriú, 67, sem comorbidades

Já são 258 cidades com ao menos um caso confirmado. A maior quantidade de pacientes com Covid-19 está em Itajaí, que contabiliza 1.347 casos. Na sequência, aparecem Chapecó (1.251), Concórdia (1.186), Florianópolis (1.122), Balneário Camboriú (954), Joinville (941), Blumenau (929), Criciúma (526), Xaxim (431) e Navegantes (415).

Brasil

Nesta segunda-feira, 22, os dados mais recentes do levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa mostra que o Brasil teve 51.407 mortes por coronavírus confirmadas até as 20h. O número de casos é 1.111.348. Os dados foram compilados a partir de informações cedidas pelas Secretarias estaduais de Saúde.

Divulgação/PMPB