Segunda banda mais antiga da cidade, a Sociedade Musical Carlos Gomes recebeu na tarde desta quarta-feira, 10, as chaves de sua sede, agora revitalizada. O prédio do conjunto musical ficou em obras por um ano e meio e foi reformado com recursos do programa PAC Cidades Históricas.

A obra custou R$ 760 mil e, segundo o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), foi idealizada para garantir mais condições e oferecer um espaço de qualidade para os músicos da banda. Atualmente, são 45 componentes.

Para o maestro Deroci de Oliveira, que acompanhou, aos sete anos de idade, a campanha de arrecadação de fundos e o processo de construção do prédio no início da década de 1950, ver a sede revitalizada foi emocionante.

“Foi uma luta, uma espera grande de sete anos pela reforma. Temos muito a agradecer pelo Iphan ter feito essa obra e torcemos para que daqui para frente a nossa casa não tenha mais os problemas de antes”, disse Oliveira,

A revitalização do prédio incluiu melhorias na sala conjunta e individuais de ensaio, banheiros, implantação de elevador para pessoas com necessidades especiais acessarem o segundo andar, entre outras. As paredes receberam revestimento acústico para isolar o som.

“Esse sempre foi um dos projetos mais importantes para o Iphan no sentido da relevância que a entidade tem para a sociedade lagunense”, reconheceu a arquiteta Ana Paula Cittadin, chefe do Escritório Técnico do Iphan em Laguna.

Até a conclusão das obras, a Carlos Gomes vinha usando o auditório do Iphan para seus ensaios. A banda chegou a usar a sede da escola de samba Vila Isabel por um curto período. Esse período longe da casa, avalia Deroci, foi difícil.

Agora, o próximo passo para a ocupação do prédio é a compra de mobiliário como cadeiras e armários para a guarda de documentos. A estimativa da diretoria aponta que a banda precisará de ao menos R$ 20 mil para a aquisição total dos itens necessários.

A entrega das chaves foi um ato simbólico e ocorreu com apenas com presença de alguns membros da sociedade musical e representantes do Iphan, já que não está permitida a realização de eventos públicos que possam aglomerar pessoas.

Sobre a Carlos Gomes

A Carlos Gomes surgiu em abril de 1882. Foi fundada por Domingos Henrique Dias, Pedro Felisberto, Manoel, Jeronimo, Manoel Luíz da Silva, Cesário Miranda, Manoel Leocádio, Frabklin Nascimento, José Alano e Joaquim Benedito de Assunção (primeiro maestro), com o nome de Sociedade Musical Santa Cecília.

Seis anos depois, passou a se denominar 13 de Maio, em referência à data da abolição da escravatura. A nomenclatura atual é usada desde 1896, e homenageia o compositor da ópera ‘O Guarani’. A banda é regida há 15 anos por Deroci de Oliveira.

Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna