Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna

Botos, toninhas, baleias e até pinguins. Se tudo ocorrer como o planejado, Laguna vai ter, até domingo, 28, essas espécies como estrelas do maior painel temático sobre vida marinha do país. A obra de arte começou a ser pintada nesta terça-feira, 23, pelo artista paulista Alexandre Huber, que está usando a sede do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) na cidade, como tela para a pintura.

Huber começou a pintar a vida marinha em 2009, usando a arte como ferramenta de atração e conscientização do público para a importância da preservação da fauna aquática. Ele já produziu quase cem painéis artísticos em diversas partes do país.

Para produzi-lo, o pintor conta com o clima favorável, mas reconhece que o desafio é grande, literalmente. “São mais de seis metros de altura”, comenta. Quando concluída, a obra vai ter ultrapassado os 290 metros quadrados pintados. “O branco [da sede] vai se transformar no azul do oceano e vamos ter as principais espécies que visitam o litoral de Laguna e de Santa Catarina”, descreve o autor do painel.

A ideia de personalizar a sede do projeto, que completa cinco anos em agosto, era um desejo antigo da coordenação da iniciativa. “Desde a concepção original, a gente tinha uma vontade de que isso se transformasse em um ícone de destaque na cidade, já que estamos em uma via de acesso ao município e isso permitiria visibilidade para aquilo que fazemos e para as espécies que a gente trabalha”, explica o professor Pedro Castilho, coordenador do PMP-BS em Laguna.

Todavia, segundo Castilho, a ideia não será executada 100% como o planejado. O PMP-BS havia idealizado fazer um painel colaborativo com a participação, principalmente, de crianças, mas a pandemia do novo coronavírus impediu isso. “Considerando a pandemia, não posso convidar as pessoas a visitar, mas em breve será uma ação interessante, principalmente, para as crianças, trazendo um olhar mais lúdico; que elas possam vir e pintar seus animais, criando um vínculo com essas espécies”, pontua Pedro.

Esboço inicial de como será a pintura, com destaque para as baleias. Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna

Sobre Alexandre Huber

Paulista de Santos, cidade portuária, Alexandre Huber tem seu nome ligado à dedicação na luta pela preservação das espécies marinhas no Brasil. Como artista plástico, tem atuado como agente divulgador para jovens e crianças sobre a importância da preservação ambiental.

Ele já produziu artes para ONGs e projetos ambientais como: Albatroz (SP), Projeto Mantas do Brasil (SP), Projeto Lontra (SC), Associação Amigos do Peixe Boi Amazônico (AM), Projeto Tartarugas da Amazônia (AM), Projeto Peixe Boi Marinho (PE), Instituto Australis (SC), Projeto Divers For Sharks (RJ), além de escolas e instituições voltadas à preservação ambiental. Conheça mais sobre a arte dele, aqui.

Sobre o PMP-BS

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no polo pré-sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.

Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos.

De Saquarema (RJ) até Laguna são 15 trechos de monitoramento. A Udesc monitora o trecho 1 compreendido entre Laguna e Imbituba, e recebe animais para reabilitação e necropsia do trecho 2, compreendido entre Imbituba e Governador Celso Ramos.

Caso algum animal marinho, vivo ou morto, seja encontrado, o PMP-BS pode ser acionado pelo telefone gratuito 0800 642 3341.

Foto: Santiago Anguita/PMP-BS/Udesc