Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna

Localizada às margens da BR-101, a Praia do Sol é uma das mais frequentadas de Laguna durante o verão e sua população tende a crescer nos primeiros meses do ano, devido o número de veranistas que têm casa na localidade. Nos meses seguintes, em baixa temporada, o balneário é ocupado apenas pelas pessoas que têm moradia fixa na comunidade.

Esses moradores começaram a unir forças para cobrar mais atenção do poder público para a região, que sofre com a criminalidade e a falta de investimento e de manutenção em suas ruas, por exemplo. A cena que se vê é o contraste da praia com uma vista bela e uma estrada de acesso desafiadora.

Para o tenente da reserva Luís Antônio Mossman, que se mudou para a praia há quatro anos, o movimento iniciado é uma resposta ao marasmo e ao esquecimento vivido pelo bairro. “Somos a comunidade afastada da área central de Laguna que mais paga IPTU, e muito pouco ou quase nada nos é dado de retorno em manutenção de estrada, limpeza de ruas e iluminação pública, sendo essa cobrada uma taxa extra também na conta de luz”, diz.

De acordo com o ex-policial, várias reuniões já foram feitas entre prefeitura e comunidade, mas nada de concreto foi realizado. “Sempre a mesma desculpa que o município está endividado e não tem dinheiro para colocar saibro nas estradas, não tem para construir uma ponte de concreto no acesso do Gi para Praia do Sol, para colocar saibro em todas as ruas da praia, pois a grande maioria não é calçada e todo ano com a chegada do inverno as vias ficam intransitáveis”, dispara.

O sentimento na comunidade é de revolta. “Na verdade, nem precisava chegar a este ponto, mas todos nós estamos cansados de tudo e de pedir e nada ser feito”, diz a artesã Carla Oliver, que mora há dois anos no balneário. “Vemos através das mídias que todas as outras comunidades de Laguna são agraciadas com algum investimento em infraestrutura e aqui na Praia do Sol a prefeitura só faz ações paliativas”, completa Mossman.

Praia do Sol: 2,5 mil proprietários de imóveis convivendo com esquecimento do poder público. Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna

A ideia de colher assinaturas surgiu como uma alternativa à impossibilidade de se fazer uma manifestação pública, evitando aglomerações e possível contágio pelo novo coronavírus. A comunidade se movimenta em duas frentes: um abaixo-assinado físico e outro digital.

Inicialmente, o documento seria só em papel. “Como todos os moradores começaram a ter conhecimento e alguns não conseguem vir à praia, mas tem casa aqui, com intuito de todos poderem participar surgiu o online e está alcançando mais pessoas”, comemora Carla.

O balneário tem cerca de 2,5 mil proprietários de imóveis. “Algo tem que ser feito, pois todos estamos cansados de pedir, pedir… e, se necessário, faremos o que puder ser feito para que de fato nossa comunidade seja atendida; se for o caso de enviar ao governador assim faremos”, diz a moradora.

Até a publicação da matéria, mais de 300 assinaturas tinham sido coletadas no abaixo-assinado em papel e quase 600 no documento digital. Acesse aqui a petição.

Reivindicações

De acordo com a plataforma online onde o abaixo-assinado está hospedado, a comunidade elencou como prioridades as seguintes reivindicações:

  • Colocação de saibro de qualidade, com futura pretensão ao asfaltamento da avenida Jaime Rodrigues, acesso principal à Praia do Sol (BR-101).
  • Abertura lado esquerdo, sentido Norte, da avenida Pedro Hamilton dos Santos, a principal do Loteamento, com colocação de saibro de qualidade e futura pretensão de calçamento com lajotas.
  • Iluminação com dois braços de lâmpadas, por toda a avenida Pedro Hamilton dos Santos, a principal do Loteamento Praia do Sol até o sentido Norte.
  • Colocação de saibro de qualidade, com futura pretensão ao calçamento com lajotas em todas as Ruas do Loteamento Praia do Sol.
  • Fechamento dos acessos Norte (no extinto aeroporto para evitar que seja rota de fuga para criminosos e na rua dos Bonitos, acesso à praia para evitar circulação de carros). Esse ponto é lastreado na lei 1.961/2017, que proíbe entrada, permanência e circulação de veículos automotores nas praias de Laguna.
  • Definição de calendário de limpeza nas ruas, pinturas de meios fios, bem como a limpeza das valas de contenção de água da chuva que circula a área de habitação da Praia do Sol. A vala está assoreada devido ao acúmulo de areia, terra e mato não dando vazão as águas, comprometendo a drenagem dos terrenos.
  • Reassentamento das lajotas que compõem a pavimentação da rotatória localizada na entrada do bairro; das que compõem a pavimentação de um trecho da Av. Beira Mar, próximo à lanchonete Chalé (referência), destruídas com as fortes enxurradas do ano de 2019.
  • Instalação de placas informativas quanto destinação correta do lixo, afim de conscientizar os impactos poluentes causados na Orla da Praia e na natureza.
  • Colocação de saibro de qualidade, com futura pretensão ao asfaltamento, na estrada que liga o Loteamento Praia do Sol, Praia do Gi e as outras praias que compõem a orla marítima até a cidade de Laguna.
  • Construção de uma nova ponte na Praia do Gi, que liga o Loteamento Praia do Sol as outras Praias da Orla Marítima chegando até a cidade de Laguna.