Morador do Mato Alto, Diego Cardoso Baron, 37, é um dos onze lagunenses que tiveram diagnóstico positivo para o contágio pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) e que agora também faz parte de uma outra estatística: a de pessoas curadas da doença na cidade. Ao Portal Agora Laguna, ele relatou a experiência e comentou como foi o período de isolamento.

Em meados de abril, a esposa Priscila Jeronimo Schmidt, 31, sentiu febre e alguns sintomas característicos da Covid-19, como perda de olfato e paladar. Dias depois, entrou em contato com a unidade de saúde mais próxima, recebeu orientações e fez as coletas para exame. O diagnóstico foi positivo. Segundo Baron, ela apresentou sintomas por cerca de três dias e depois “ficou bem”.

Assim que voltou de uma viagem, dias depois, ele fez e recebeu laudo comprovando a presença do coronavírus. O motorista, porém, não apresentava sintomas, o que na medicina é tratado como caso assintomático. “O grande alívio nosso é passar por essa situação e estar tranquilo”, diz o lagunense. Os dois não sabem onde podem ter contraído a doença.

O casal mora junto do filho Bruno, 12, que teve dois laudos negativo para coronavírus. A presença do menino e o fato de ele não ter sido contaminado fez intensificar os cuidados com a higiene, com uso de máscaras e limpeza das mãos. “A nossa grande força foram as pessoas próximas da gente, que, em vez de apontarem dedos dizendo: ‘Ah! Eles estão contaminados’, não… eles se preocuparam”, acrescenta.

A outra filha do casal, Beatriz, 15, passou esse período fora do condomínio e visitava os pais levando refeições e também fazendo as compras necessárias para os pais, sempre respeitando os critérios de proteção.

Laudos comprovando fim da quarentena – Foto: arquivo pessoal

Para Diego e Priscila, o atestado médico comprovando o término do isolamento representa o fim de duas semanas de cuidados, que continuarão daqui para frente, mas marca que o casal venceu uma doença que já infectou mais de um milhão de pessoas ao redor do mundo.

“A mensagem que eu deixo para a população é sigam as recomendações das autoridades de saúde. O pessoal tem que se cuidar, fazer distanciamento e isolamento social, a medida que pode ser feito. No meu caso foi assintomático e minha esposa, só uns sintomas pequenos. Algumas pessoas vão ter uma imunidade mais baixa e podem ter mais complicações, mesmo assim as pessoas têm que se cuidar”, alerta o lagunense.

Onze curados

Além do casal, outras nove pessoas estão curadas, inclusive o caso confirmado no sábado, 4, de um morador de Cabeçuda, de 50 anos de idade. Em Laguna, atualmente são apenas cinco casos suspeitos em análise e outras 121 suspeitas foram descartadas.