Divulgação
 

Com cobertura nacional abaixo do esperado do grupo prioritário da última fase, o Ministério da Saúde (MS) optou por estender novamente a campanha de vacinação contra a gripe e a imunização seguirá acontecendo até 30 de junho. A decisão foi anunciada nesta sexta-feira, 29.

O ministério calcula que apenas 63,53% das 77,7 milhões de pessoas que fazem parte da faixa-alvo se vacinaram. A terceira fase de imunização começou em 11 de maio, voltada aos grupos formados por pessoas com deficiência, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes, puérperas, professores e pessoas de 55 a 59 anos de idade.

Segundo a coordenadora de imunização Rosimari Nunes, até o momento não houve sinalização de repasse de mais lotes de vacina aos municípios pela Supervisão Regional de Saúde, mas, em Laguna, o estoque seria suficiente. “No momento estamos bem abastecidos, temos vacina que dará para imunizar as pessoas que forem procurando os postos”, garante.

Ela reforça o pedido para que as pessoas do grupo prioritário, busquem a imunização. “A população pode ficar tranquila, pois estamos tomando os cuidados de prevenção nas unidade básicas”, frisa.

Pescaria Brava faz dia D

Em Pescaria Brava, o município até o momento não recebeu nenhuma comunicação da ampliação de prazo. De acordo com o secretário Luiz Henrique Castro de Souza, a cidade teve bons números nas primeiras fases – a imunização de idosos na etapa inicial chegou a 122% – e agora tenta repetir a cobertura vacinal na terceira e última fase.

A baixa procura pelas vacinas levou a Secretaria Municipal de Saúde a organizar no sábado 30, um Dia D. A ação acontece das 8h às 16h30 e as pessoas a serem vacinadas devem levar cartão do SUS, carteira de vacinação e, preferencialmente, utilizar máscara para prevenção, por causa da pandemia do novo coronavírus.

O ponto de concentração da mobilização será no pátio do posto de combustível Della Giustina, no bairro Santiago, entrada da cidade.

A campanha de imunização acontece desde abril. Apesar de não ter eficácia contra o coronavírus, a vacina contra influenza foi distribuída mais cedo em 2020 para auxiliar os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para a Covid-19, já que os sintomas são parecidos. E, ainda, ajuda a reduzir a procura por serviços de saúde.