Laguna fecha mais de cem postos de trabalho com carteira em abril, aponta Caged

Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 232 visualizações,  4 views today

Após cinco meses sem publicar estatísticas, a Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia divulgou pela primeira vez os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) de 2020. Os números de Laguna em abril fecharam negativos, acompanhando tendência nacional.

O município contratou 110 pessoas, mas demitiu 251, o que representa saldo negativo de 141 demissões. No comparativo do ano, Laguna teve saldo positivo em janeiro com 109 contratações e negativo em fevereiro e março, com cinco e 110 desligamentos – considerando os dados ajustados, com as informações inseridas pela empresa após o prazo estabelecido pelo Caged.

Em Pescaria Brava, a cidade registrou a admissão de 18 pessoas e a demissão de dez, gerando saldo positivo ajustado de oito contrações. O município teve saldo negativo de seis vagas em março e em janeiro e fevereiro, respectivamente, ficou com saldo positivo de 11 e uma vaga gerada.

No acumulado do ano, Laguna também fica com saldo negativo. Apesar de contratar 1.004 pessoas, demitiu 1.112 – ficando com 108 vagas geradas a menos. Pescaria Brava gerou 95 postos e desligou 81 trabalhadores, tendo saldo positivo de 14 vagas.

Região de Laguna

Os números de abril também são negativos na região de Laguna. Tubarão, maior cidade da Amurel, teve saldo de 1.042 demissões (admitiu 565 e demitiu 1.607 pessoas). Imbituba contratou 159 e demitiu outros 459, tendo saldo de 300 baixas. Braço do Norte aparece nos dados com 163 admissões frente a 789 desligamentos, o que gera saldo de 626 empregos a menos.

A maior parte das cidades da Amurel também acompanharam o panorama econômico: Armazém (104 vagas a menos), Capivari de Baixo (-79), Gravatal (-107), Imaruí (-15), Jaguaruna (-105), Pedras Grandes (-8), Sangão (-101), São Ludgero (-112), São Martinho (-15) e Treze de Maio (-134).

O saldo positivo foi verificado em Grão-Pará com três admissões a mais que demissões e em Rio Fortuna e Santa Rosa de Lima, com uma contratação a mais, cada.

Já em Santa Catarina, foram fechados 73.111 mil postos de trabalho no mês passado, de acordo com os números divulgados – são 33.167 admissões contra 106.278 demissões. O estado teve o quinto pior resultado em comparação com as demais unidades federativas e também o pior número para abril desde 2003, quando os dados começaram a ser contabilizado pelo Caged.

Brasil

Comparando com abril de 2019, o Caged apontou a criação de 129.601 postos de trabalho com carteira assinada, resultado de 1.374.628 admissões e 1.245.071 demissões. Neste ano, as contratações alcançaram total 598.596 e número de desligamentos chegou a 1.459.099, gerando um resultado de 860.503 empregos, representando saldo negativo.

Os números de abril e março são os primeiros com o reflexo da pandemia do novo coronavírus. O impacto foi amenizado com a edição da medida provisória 936/2020, que criou o Programa Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda, que auxiliou na preservação de mais de 8,1 milhões de empregos no país, conforme estatística do governo federal.

A MP possibilitou que os trabalhadores que tiverem jornada reduzida ou contrato suspenso ou sejam contemplado pelo auxílio emergencial para trabalhadores intermitentes com contrato de trabalho formalizado recebam o Benefício Emergencial de Preservação da Renda e do Emprego (BEm).

Notícias relacionadas