Região de Laguna é a 6ª com maior incidência de casos de coronavírus por habitante no Brasil

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 492 visualizações,  4 views today

O Ministério da Saúde atualizou em coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira, 9, os números de casos confirmados de novo coronavírus (Sars-CoV-2), com destaque negativo para a região dos municípios de Laguna (Amurel), que é a sexta com maior incidência de casos por habitantes no país. Atualmente, segundo os dados divulgados, são 941 mortes e 17.857 casos confirmados de contaminação pelo vírus causador da Covid-19.

A região da Amurel foi onde surgiram alguns dos primeiros casos confirmados em Santa Catarina, a partir de Braço do Norte e onde teve uma das mortes de destaque nacional, a do jovem músico Deison Freitas, 34 anos, de Tubarão, que não tinha comorbidades.

De acordo com MS, a cada 100 mil habitantes há 15,7 casos confirmados na região. A estatística da pasta, coloca a Amurel atrás do Distrito Federal (DF) e das capitais Fortaleza (CE) e São Paulo (SP), por exemplo. Veja a lista:

  • Região de Fortaleza (CE) – 43,9 casos a cada 100 mil habitantes
  • Região de São Paulo (SP) – 40,4 casos a cada 100 mil habitantes
  • Região de Manaus, entorno e Alto Rio Negro (AM) – 28,1 casos a cada 100 mil habitantes
  • Região do Distrito Federal (DF) – 16,9 casos a cada 100 mil habitantes
  • Região da Área Central (AP) – 16,8 casos a cada 100 mil habitantes
  • Região de Laguna (SC) – 15,7 casos a cada 100 mil habitantes
  • Região de São Luís (MA) – 15,1 casos a cada 100 mil habitantes
  • Região de Pampa (RS) – 14,9 casos a cada 100 mil habitantes

Esses números indicam que estes locais precisam de mais atenção, conforme o Ministério da Saúde, que deixou claro que há várias cidades inclusas na demarcação. “As regiões de saúde englobam vários municípios que, por características próprias, têm um município-polo”, explicou o secretário de Vigilância em Saúde do MS, Wanderson Kleber de Oliveira, ao apresentar os dados. “Isso dá um direcionamento melhor, uma visão melhor de onde devemos concentrar esforços”, emendou. A região de Fortaleza, capital do Ceará, lidera a lista com 43,9 casos.

Foto: Reprodução/MS

Mais tarde, em coletiva de imprensa do governo de Santa Catarina, o secretário da Saúde, Helton Zeferino, ao responder pergunta enviada pela equipe do Portal Agora Laguna, explicou que sua pasta monitora os dados divulgados pelo ministério. “Todos esses dados estão sendo analisados pela secretaria. […] É natural que tenhamos regiões com maior número de incidência, mas sempre trabalhando com um todo, precisamos olhar para todo território, para disponibilizar atendimento para toda a população”, disse.

Boletim divulgado pela prefeitura de Laguna em 9 de abril

Apesar de ter o nome propagado como destaque nacional por ser município-polo da região, Laguna tem apenas quatro casos confirmados (uma das pessoas é considerada curada), de acordo com o boletim mais recente da prefeitura municipal divulgado nesta quinta. A cidade monitora quatro casos suspeitos e já descartou 44 possíveis contaminações.

Na projeção de casos da Amurel, a cidade fica atrás de Tubarão e Braço do Norte, que têm 22 e 25 casos confirmados, respectivamente. Imbituba tem nove confirmações. Gravatal conta sete confirmações, e São Ludgero, seis.

Laguna é a sexta cidade da região em número de casos. Depois, na sequência vem: Jaguaruna com três, Pedras Grandes com dois, Sangão com um, e Pescaria Brava, também com apenas um caso e sem nenhuma suspeita, conforme a prefeitura municipal informou nesta quinta-feira.

Números do coronavírus

Os dados estaduais informam que há 693 casos confirmados em Santa Catarina e 18 mortes, sendo a mais recente a de uma mulher, 49 anos, moradora de Massaranduba, que fazia parte do grupo de risco por apresentar comorbidades. Há 55 pacientes internados em UTIs com diagnóstico confirmado de Covid-19.

Já o número de cidades com moradores infectados por coronavírus chegou a 78, em Santa Catarina. Entraram para a lista nesta quinta-feira: Massaranduba, Orleans, Rio Negrinho, Aurora, Balneário Piçarras, Barra Velha, Caçador, Cocal do Sul, Garopaba, Guaramirim, Rio Rufino, Schroeder e Vidal Ramos. Um caso que estava contabilizado como Paulo Lopes passou para Garopaba após a confirmação do local de residência do paciente.

No país, em comparação aos números divulgados na coletiva de quarta-feira, 8, a taxa de mortalidade cresceu 18%. Em 24 horas, houve crescimento de 141 óbitos em 24 horas. Um dado apresentado por Oliveira, na coletiva do MS, é que cerca de 85% dos casos assintomáticos, que são os que não apresentam sintomas, não serão possíveis de registrar.

Em todo o Brasil, 344 mil testes já foram realizados até quarta-feira. Mais de 892 mil testes já foram destinados para os estados brasileiros pelo governo desde que a pandemia iniciou.

Wanderson Oliveira: “As regiões de saúde englobam vários municípios que, por características próprias, têm um município-polo” – Marcello Casal Jr/ABr