Foto: Elvis Palma/Agora Laguna

Uma médica da equipe do Hospital de Caridade Senhor Bom Jesus dos Passos, de Laguna, foi demitida da instituição após críticas terem sido feitas por uma paciente no início da semana. A rescisão com a profissional foi confirmada pela casa hospitalar à reportagem do Portal Agora Laguna nesta quinta-feira, 2.

A situação iniciou na terça-feira, 31. Uma paciente, em vídeo divulgado nas redes sociais, reclamou do atendimento feito pela médica, na fase de triagem e também no consultório. A mulher, na gravação, afirmou que a profissional não teria solicitado exames para investigar sua condição clínica.

A repercussão negativa levou à demissão da profissional. Diretor-técnico do hospital de Laguna, o médico Gabriel Scalon explicou em uma rede social que a saída da médica ocorreu pelos apelos da população. “Em outros momentos já tínhamos visto esse pedido e a gente estava tentando levar, para ver se existiria um entendimento”, comentou Scalon.

O diretor explicou ainda que a médica tem formação para atuação na área de terapia intensiva e elogiou, na gravação, o trabalho desempenhado pela profissional. “Ela não gostava da porta da emergência, e sim do primeiro atendimento, onde ficam pacientes gravíssimos, com risco de morte e ela se doava, estudava, e fazia de tudo para que esses pacientes saíssem bem”, acrescentou o médico, informando que por um período a ex-integrante do hospital esteve contratada para atender exclusivamente estes casos..

Scalon, falando como médico, disse na publicação que se sentia “humilhado” com os comentários direcionados à colega de profissão. “Somos seres humanos e temos condições de errar”, disse.

Ouça o desabafo completo

Contraponto

A reportagem do Portal Agora Laguna procurou a médica Talita Gurgel para ouvir seu lado.

A profissional disse que a paciente foi ao hospital buscar atendimento em uma área reservada às pessoas com grupo de risco (suspeitos de Covid-19) e que a mesma foi informada e devidamente orientada a procurar a unidade de saúde do bairro Progresso, onde estão sendo feitas as triagens de síndromes respiratórias. Talita adiantou, também, que medidas judiciais estarão sendo tomadas.

Empréstimo de equipamentos do hospital

Na gravação divulgada nas redes sociais, Scalon também comentou a respeito do empréstimo de equipamentos do hospital. Ele lembrou que quando chegou tinha apenas um respirador da unidade de emergência e que hoje são quatro para aquele setor. “Se comparar como era o que tinha quando entrei e o que tem hoje, é um outro hospital”, comemorou.

A cessão de monitores e respiradores foi feita a pedido do Estado com a garantia de retorno à unidade de Laguna assim que ativada a UTI. Esses itens foram comprados com recursos do governo catarinense. Scalon disse que a solicitação foi emergencial para funcionar em UTI ativas no estado.

“Seria inconsequência do hospital de Laguna… um egoísmo, assassinato talvez, seguramos esses respiradores encaixotados que não podiam ser usados da forma adequada, enquanto outros hospitais poderiam oferecer esse serviço aos seus pacientes, salvando vidas”, pontuou. “Estaria colaborando com a morte de muitas pessoas se não cedêssemos esses respiradores temporariamente para o Estado […] a partir do momento que a gente precisar a gente vai lá, busca e traz de volta”, completou.

Confira a publicação feita pelo médico Gabriel Scalon