Foto: Elvis Palma/Agora Laguna

Estátuas e bustos históricos de Laguna, ganharam máscaras de proteção em uma ação de conscientização contra o coronavírus. Ao menos cinco monumentos espalhados pelo Centro Histórico receberam os equipamentos de proteção individual (EPIs). Veja as fotos no fim da matéria.

A ação tem como objetivo alertar os moradores da importância do uso das máscaras durante a pandemia. Desde o último domingo, 19, o uso de máscaras para acessar prédios públicos, estabelecimentos comerciais e indústrias em geral é obrigatório em Laguna. Um decreto municipal com a obrigação foi publicado na quinta-feira, 16, e vale também para as pessoas que trabalham diretamente com atendimento ao público.

Quem passa pelo Centro pode conferir a novidade. O monumento em homenagem ao fundador Domingos de Brito Peixoto, além do busto de Jerônimo Coelho e até mesmo o revolucionário Giuseppe Garibaldi, são alguns dos nomes que estão “protegidos”. A estátua de Anita Garibaldi, na praça República Juliana, também recebeu uma máscara.

Até o monumento de uma capivara na entrada da cidade, no bairro Mato Alto, ganhou o adereço. A iniciativa partiu de entidades como o Bloko Rosa, que usou parte dos abadás que não foram usados no Carnaval, da prefeitura e de populares. Veja:

Saiba mais

As máscaras são obrigatórias para:

  • uso de táxi ou transporte compartilhado de passageiros;
  • permanecer na fila ou entrar em estabelecimentos de serviços essenciais, tais como supermercados, mercados, mercearias, padarias, farmácias, drogarias, entre outros;
  • permanecer na fila ou adentrar em estabelecimentos comerciais que tiverem suas atividades liberadas e retomadas;
  • desempenho de atividades profissionais em ambientes compartilhados com outras pessoas, nos setores público e privado.

O decreto obriga que as pessoas usem máscaras, mas determina que é de responsabilidade do estabelecimento a garantia do cumprimento, a partir da recomendação aos consumidores para que façam a utilização dos itens de proteção. O documento publicado no Diário Oficial deixa claro que o descumprimento implica em sanções que podem ir de advertência à cassação do alvará de funcionamento do serviço.