Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna

O Hospital de Laguna protocolou na manhã desta quarta-feira, 1º, o ofício com o orçamento elaborado para a abertura emergencial dos dez leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da casa hospitalar. O valor pedido pela direção é de R$ 500 mil.

Portal Agora Laguna detalhou na terça-feira, 31 de março, que o Estado procurou o hospital para verificar a abertura dos leitos. O governo quer abrir até maio 713 leitos de UTI em todo o estado, para garantir atendimento aos casos de novo coronavírus. Atualmente, são 247 casos confirmados no território catarinense.

“Não temos condições, hoje, de em 10 dias estar com ela pronta. Precisamos fazer algumas obras de conformidade estrutural que foram solicitadas pelo próprio Estado, precisamos fazer a parte de mobília, materiais permanentes, gasômetro, rede de gás”, detalhou a administradora Cheyenne de Andrade Leandro.

O orçamento do hospital contempla:

  • Mobiliário – R$ 65.200
  • Materiais permanentes – R$ 85 mil
  • Gasômetro – R$ 32 mil
  • Rede de gás (medicinal) – R$ 292.680
  • Adequações estruturais – R$ 30 mil

No documento protocolado na Secretaria da Casa Civil, o hospital também registra o empréstimo de dez monitores e nove ventiladores ao Estado, requeridos por estarem sem utilização já que a UTI de Laguna não está em funcionamento. O conjunto foi levado para reforçar UTIs de outros hospitais do Sul.

“Caso esses equipamentos não retornem ao hospital, será necessário a inclusão do valor de R$ 200 mil para a compra destes monitores e ventiladores”, diz o ofício assinado por Cheyenne e pelo médico Fernando Pache, presidente da casa hospitalar. O empréstimo não deixou o hospital desassistido, já que a unidade continua com sete ventiladores e dez monitores para uso dos pacientes que necessitarem. A previsão é que com a ativação os equipamentos cedidos retornem à unidade.

A estrutura elétrica também precisará ser alterada para um padrão superior ao existente no hospital. Cheyenne confirmou que estão sendo feitas tratativas com a Celesc para fazer essa operação.

Veja o documento enviado pelo hospital

Divulgação/HCSBJP