Foto: Reprodução/Editoria de Arte/Agora Laguna

No fim da noite de quarta-feira, 15, diversos grupos de WhatsApp compartilharam um vídeo de uma pessoa, durante uma live transmitida na rede social Facebook, que limpava a tela de um celular usando uma máscara descartável. As imagens são atribuídas ao prefeito Mauro Candemil (MDB), de Laguna.

A reportagem do Portal Agora Laguna conferiu essa história direito e confirmou que se trata de uma fake news. Candemil lamentou o fato. “Os ‘fakes’ colocaram nas redes sociais uma pessoa limpando com a máscara o celular. Todo mundo sabe como sou e como me apresento”, disse.

O prefeito se mostrou indignado com o fato. “Infelizmente, num momento desse quando estamos pensando na defesa intransigente da vida, da ciência, ficam pessoas invadindo as redes sociais, denegrindo imagem de pessoas. Vamos trabalhar gente, cuidar de suas vidas, sua saúde”, pontua.

A pessoa que aparece nas imagens não tem semelhança alguma com o chefe do Executivo de Laguna. Se trata do prefeito de Arapongas (PR), Sérgio Onofre (PSC), que, no mesmo vídeo, chegou a passar a máscara de uma mão para outra. As atitudes são contrárias às recomendações das autoridades de saúde e foi criticada pelos moradores da cidade paranaense, localizada a cerca de 400 quilômetros da capital Curitiba.

Reprodução

Onofre afirmou ao portal G1 Paraná que tinha retirado a máscara antes da conversa, e que a descartou após a transmissão, que ocorreu na página de Gabriella Ricci, presidente da seção jovem do PSL local. “Não estou falando para ninguém usar a máscara para limpar o celular. Estou falando para o pessoal usar a máscara para se proteger”, disse o prefeito.

Gabriella, por sua vez, divulgou nota confirmando a versão do prefeito de Arapagonas. “A máscara já tinha perdido sua eficácia por conta de seu tempo de uso, por isso ele a destruiu durante a live”, argumentou no texto. Assista à live original.

Notícias falsas

Numa era de propagação enorme de informações, principalmente com a facilidade instantânea de compartilhamento de notícias, as pessoas não estão livres do surgimento de notícias falsas, ou, como se popularizaram, fake news.

A divulgação de informações inverídicas não possui uma legislação ou artigo em código penal específico no Brasil, entretanto, quem se considerar vítima de uma notícia falsa, pode procurar medidas judiciais cabíveis, visando responsabilizar o autor ou o republicador da mentira. Os casos podem resultar em punição criminal ou indenização reparatória.

Na dúvida, procure sempre pesquisar na internet alguma notícia relacionada, muitos portais e sites se tornaram especializados em desmistificar essas fake news. Caso a resposta não esteja online, procure outro meio de comunicação, como rádio, jornal, incluindo televisão, se a sua região estiver abrangida por esses veículos.