Foto: Santiago Anguita/PMPBS-Udesc

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS/Udesc) informou na tarde desta terça-feira, 14, ter encaminhado no dia anterior uma ave da espécie pernilongo (Himantopus himantopus), para ser solta em habitat natural pela Associação R3 Animal, de Florianópolis. A ave passou por um longo período de tratamento na Unidade de Estabilização de Fauna Marinha, em Laguna (SC).

Segundo o PMP-BS, o animal chegou ao projeto no dia 12 de janeiro. Ela foi resgatada no Mar Grosso após ter sido atacada por um cão doméstico. A mordida deixou uma grande lesão na região do peito.

Os veterinários estabilizaram o animal rapidamente a ponto dele conseguir se alimentar sozinho. Na manhã que ia ser encaminhada para a R3 Animal, a ave fez um sobrevoo inesperado durante o manejo e acabou caindo com o peito no chão. Isso fez com que a sutura feita se rompesse, piorando a ferida aberta.

“Tivemos que tratar como uma ferida aberta e isso sempre toma tempo’’, detalhou a médica veterinária Gabriela Cristini de Souza. O pernilongo recebeu tratamento a base de antibiótico prolongado para evitar infecção e uso óleo de girassol com ozônio, o que ajudou na lenta cicatrização.

Sobre o PMP-BS

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no polo pré-sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.

Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos.

Caso encontre algum animal marinho vivo ou morto, entre em contato com o projeto pelo telefone 0800 642 3341.