Imagine a cena: você é uma técnica de enfermagem e está em mais um dia, até então comum, de trabalho. Chega uma paciente, com contrações e entrando em trabalho de parto. O tempo de resposta tem que ser o mais rápido possível já que as dores vão aumentando. A criança começa a ter pressa para nascer. A decisão é levar a mãe o mais rápido possível para a maternidade, mas no caminho, o bebê parece ser mais rápido que qualquer pessoa e nasce no elevador, a minutos de entrar no espaço materno.

Foi o que aconteceu no início da noite de quarta-feira, 29 de abril. Dia que ficará marcado na história de Débora Oliveira, 38 anos, e da técnica de enfermagem Shyrley Borges da Silva, que com quase duas décadas de enfermagem nunca tinha passado por uma situação dessas. O Portal Agora Laguna teve conhecimento dessa história e conversou com as personagens desse parto inusitado.

Débora deixou São Paulo há dois meses com a intenção de morar em Laguna após falarem muito bem da cidade e já veio com a ideia de que o terceiro filho nasceria na cidade. “Por volta das 19h30, tomei um cafezinho bem reforçado, depois tomei banho e me deitei para ver um pouco de TV com a cunhada. Veio uma dorzinha, pensei: ‘Vai passar. Veio de novo e passou, ai quando veio a quarta vez, já um pouco mais forte, avisei ela e fomos para o hospital”, conta a mãe.

O trajeto entre a casa dela em Barbacena e o hospital foi feito em menos de 20 minutos. “Assim que cheguei na porta, a bolsa estourou e já vi que não dava mais para segurar. As enfermeiras orientavam: ‘Respira, respira’, mas não dava”, diz a mãe. “Estava na triagem e a família chegou com ela já em trabalho de parto. Iniciamos o procedimento de triagem e quando olhei o bebê estava coroando [expressão médica usada para dizer que a criança já está nascendo], querendo sair”, acrescenta Shyrley.

A técnica de enfermagem conta que apesar de acreditar que não daria tempo, buscou a cadeira de rodas e com a equipe iniciou o deslocamento de Débora até a maternidade. O elevador foi chamado. “Quando vi o bebê estava saindo, não tinha mais o que fazer… a única coisa que fiz foi segurar. O elevador chegou, já que ele nasceu entre o térreo e o primeiro andar, e completamos os procedimentos na maternidade”, comenta a técnica.

A família em São Paulo já recebeu a notícia e assim como a mãe, também ficaram surpresos. Daniel Silva de Oliveira nasceu saudável exatamente às 20h40, pesando 3,235 quilos com 50 centímetros e vai ser o xodó dos irmãos mais velhos, Israel, de 16 anos, e Júlia, 13.

“Só tenho a agradecer, o pessoal me atendeu muito bem”, finaliza Débora. “Foi muito gratificante. Uma sensação que vou levar para o resto da vida”, conclui Shyrley.

Daniel com a mãe Débora e a técnica Shyrley – Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna