Vídeo-conferência dos governadores do Sul com Bolsonaro – Foto: Marcos Côrrea/PR

Depois de comprar briga com os governadores que decidiram, de forma unilateral, adotar medidas mais drásticas para contenção do coronavírus nos estados, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) voltou atrás e anunciou um amplo pacote de ajuda a governadores e prefeitos. A proposta inclui acesso a novos empréstimos, suspensão de dívidas e transferências adicionais de recursos. Segundo o Ministério da Economia, o plano envolve R$ 88,2 bilhões em recursos. Santa Catarina foi um dos primeiros estados a adotar medidas restritivas mais severas, decretando proibição do transporte coletivo, para evitar aglomerações, e fechamento de estabelecimentos não considerados essenciais. Inicialmente, a medida foi criticada por Bolsonaro, que viu outros estados seguindo o mesmo caminho. No domingo, o presidente declarou, em entrevista à TV Record, que “brevemente o povo saberá que foi enganado por esses governadores e por grande parte da mídia na questão do coronavírus”. Na segunda, questionado sobre o posicionamento do presidente Jair Bolsonaro, que criticou o fechamento de divisas dos estados, o governador Carlos Moisés (PSL) afirmou que as ações estão alinhadas com secretários de Infraestrutura dos estados e que têm respaldo legal por se tratarem de barreiras sanitárias. Na manhã de ontem, em reunião por teleconferência com governadores do Sul e Sudeste, o tom era outro. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, garantiu que chegarão aos Estados os equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para os funcionários da saúde. Já o ministro da Economia, Paulo Guedes, por sua vez, disse que não faltará dinheiro para a saúde enquanto durar a crise do coronavírus.

Medidas econômicas

O Secretário de Desenvolvimento Econômico, Lucas Esmeraldino, se reuniu, por videoconferência, com Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Alexandre Jorge da Costa, e mais 25 secretários estaduais de Desenvolvimento. Em pauta, entre outros temas, esteve o alinhamento entre governos e, especialmente, a possibilidade do uso do FGTS e a isenção de impostos no enfrentamento da Covid-19. Na oportunidade, Esmeraldino apresentou algumas das medidas implementadas em SC.

“Temos edital do Ministério da Saúde para que possamos contratar mais 300 profissionais através do Mais Médicos”, Helton Zeferino, sobre a contratação de médicos para SC.

Calendário escolar O Arranjo de Desenvolvimento da Educação (ADE) Granfpolis e a Federação Catarinense de Municípios (FECAM) realizaram ontem, 24, uma videoconferência com o membro do Conselho Estadual de Educação do Paraná, Carlos Eduardo Sanches. No encontro virtual, que contou com a participação de 60 profissionais das Secretarias da Educação dos 21 municípios que compõem o ADE Granfpolis, foram discutidos: reposição de calendário escolar e de aulas; ensino a distância; contratos terceirizados do transporte e alimentação escolar; concessão de férias; e como proceder com contratos.

Empresários na causa A empresária Adriana Lumma, proprietária da Lumma Construtora, encabeçou movimento de arrecadação de produtos para o Hospital São Camilo, de Imbituba. Em dois dias foi arrecadado grande quantidade de máscaras, toucas descartáveis, TNT para aventais, tecido, elástico, linha e mão de obra para uniformes. Agora os empresários se mobilizam para compra de aparelhos de respiração assistida e ventilação pulmonar, que custam cada um, cerca de 50 mil reais.

Falta transparência Apesar dos boletins diários sobre os casos confirmados de coronavírus por cidade em SC, a Secretaria de Saúde tem alegado dificuldades com a plataforma do Ministério para atualizar e informar onde estão os casos suspeitos. Apesar de o governador Moisés ter afirmado seguidas vezes que há casos suspeitos em todas as regiões, sem as informações corretas municípios e órgãos de controle não podem dimensionar qual é o tamanho desse público. Dados mais atualizados, de sexta-feira, dia 20,  mostram que a maior parte desses casos se concentra no Sul e litoral.

Ainda é março Todos os dias, 71 novos processos relativos à violência doméstica dão entrada no judiciário catarinense. Ano passado foram registrados 25.599. Em andamento são 39.2020 em. Só esse ano já foram 26 novos processos de feminicídio (tentados ou consumados). Em janeiro foram 1.822 mulheres pedidos de medidas protetivas.


PELO ESTADO, é uma coluna diária produzida pelas jornalistas da rede SCPortais. O conteúdo é compartilhando com mais de 30 veículos e traz assuntos relevantes da política e economia do estado, além de entrevistas com personalidades fortes catarinenses.


As informações e opiniões expressas não refletem o pensamento do Agora Laguna e são de total responsabilidade de seu autor.