No final da manhã deste sábado, 7, o ministro da Educação Abraham Weintraub, compartilhou em seu perfil na redes sociais InstagramTwitter, um vídeo gravado na unidade do Colégio Militar Feliciano Nunes Pires (CFNP) de Laguna.

As imagens foram registradas no início desta semana e mostram uma professora sendo recebida pelos estudantes de uma das turmas de 6º ano. A hierarquia e a disciplina imperam em uma unidade deste gênero, o que é demonstrado pelo respeito de uma aluna que repete os gestos militares de cumprimento a uma autoridade superior.

Weintraub usou o vídeo para destacar o “novo modelo de ensino”, defendido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em referência à educação cívico-militar que têm sido ampliada pelo Ministério da Educação (MEC) desde o ano anterior. O ministro disse que essa ideia é o motivo do temor de “linhagens oligárquicas esquerdófilas [sic]”, citando as famílias Frias e Marinho, dona dos jornais Folha de S. Paulo e Grupo Globo, respectivamente.

“Sim, frias, marinho [sic] e outras linhagens oligárquicas esquerdófilas [sic] têm toda razão em atacar o Presidente Jair Bolsonaro e seu ministro. Vamos entregar um novo modelo de ensino às verdadeiras famílias brasileiras. Vejam do que eles têm medo. Somos o pior pesadelo dessa tigrada!”, escreveu na publicação.

Até às 15h10, deste sábado, no Twitter a publicação tinha mais de 15,8 mil curtidas e 1,8 mil comentários, com quase 4 mil retweet. No Instagram, os comentários passavam de 1,3 mil.

As imagens do Colégio Militar de Laguna foram compartilhadas inicialmente pelas mídias sociais da unidade escolar e republicadas por páginas online que defendem o ensino militar, incluindo o perfil da Associação Brasileira de Educação Cívico Militares (Abemil). A partir desta última publicação é que o vídeo chegou até o conhecimento de Weintraub.

“O modelo militar de ensino é admirado e desejado pelas pessoas. Ficamos honrados com o reconhecimento do ministro da Educação”, comentou o major Peterson do Livramento, diretor-geral da unidade lagunense. O colégio de Laguna entrou em funcionamento no último dia 5 de fevereiro, após quase três anos de estudos.

Em fevereiro de 2020 também entrou em funcionamento o novo projeto-piloto do MEC de escolas cívico-militares. São 54 unidades em 22 estados e o Distrito Federal selecionadas pela pasta para aplicação do modelo. No território catarinense, participam as escolas Emérita Duarte Silva e Souza (Biguaçu), Prof. Ângelo Cascaes Tancredo (Palhoça), Professora Irene Stonoga (Chapecó) e Melvin Jones (Itajaí).