Foto: Sidnei Silva/CML/Divulgação

Abre na próxima quinta-feira, 5 de março, a chamada janela partidária. Esse período que vai até o dia 3 de abril é o momento em que vereadores e deputados que estejam ocupando mandatos possam trocar de partido sem que percam a cadeira.

A janela é a forma que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) encontrou para que os políticos não incorressem em infidelidade partidária. O tribunal entendeu em 2007 que o mandato pertencia ao partido e não ao candidato eleito.

Senadores, governadores, prefeitos, o presidente da República e os respectivos vices, não são atingidos pela infidelidade partidária e podem trocar de partido sem que percam o mandato.

Laguna: dança das cadeiras no Legislativo

Em 2016, às vésperas do pleito, o Legislativo de Laguna foi surpreendido pela troca de partidos que levaram o Progressistas a ter a maior bancada na casa. O partido conseguiu filiar na época: José Luiz Siqueira (ex-PT), Antônio da Silva (ex-PR), Rogério Medeiros (ex-PMDB) e Patrick Mattos (ex-PSB) – apenas os dois últimos conseguiram se manter na cadeira.

O cenário deve se repetir, porém em desfavor da bancada progressista que pode ficar com a metade de suas cadeiras. Isso porque dois vereadores sinalizam publicamente que vão deixar o partido e um ainda estuda a possibilidade de migrar para outra legenda.

Peterson Crippa (PP) vai seguir para o Democratas, aceitando o convite da direção estadual para ser o pré-candidato do partido à prefeitura. Kleber Roberto Lopes (PP) confirmou à reportagem vai deixar a sigla para se juntar ao Partido Social Liberal (PSL), com a filiação prevista para acontecer já em março.

Filiado ao PSDB, Rhoomening Rodrigues pode voltar para o PSD. Até 2015, ele era membro da sigla, que também já abrigou seu pai, o ex-vereador Orlando Rodrigues. A possibilidade, contudo, está em estudos de ambas as partes.

Atual líder de Governo na Câmara, Rodrigo Moraes (PL) estuda a possibilidade de trocar de partido, mesma situação do vereador Rogério Medeiros (PP). Ambos, porém, não informaram as possíveis legendas para onde iriam numa eventual troca.

Por outro lado, há quem prefira continuar em seus partidos. Cleosmar Fernandes, Nádia Tasso Lima, Thiago Duarte e Valdomiro Barbosa, ficam no MDB. Patrick Mattos e Roberto Alves vão continuar no PP; e Adilson Paulino, no PSD.

O vereador Osmar Vieira (PSDB) não quis se posicionar sobre o tema.

Editoria de Arte/Agora Laguna