Foto Marcelo Camargo/Agência Brasil
 

A vacinação contra o vírus influenza causador das gripes A (H1N1) e B (H3N2) iniciou em todo o Brasil na segunda-feira, 23, e em Santa Catarina houve grande procura pelas doses, o que fez com que ao menos 15 municípios suspendessem a campanha, incluindo Laguna, por falta de vacinas. A situação também é vivia em Pescaria Brava, porém a Secretaria Municipal de Saúde optou por manter os trabalhos.

O município mais novo do país seguiu uma estratégia adotada em cidades como Imbituba, e colocou os vacinadores para percorrerem as ruas da cidade imunizando os idosos em suas residências, sem necessidade de irem até às unidades de saúde. São quase 2 mil pessoas na faixa etária maior de 60 anos de idade, público-alvo da primeira etapa da campanha, em conjunto com os trabalhadores da saúde.

“Por enquanto temos poucas doses, mas a regional nos confirmou que chegam mais doses amanhã. Vamos manter o cronograma normal”, comenta o secretário Henrique de Souza. No primeiro dia, mais de 350 idosos foram vacinados.

Vacinação em 2020

A campanha em 2020 foi antecipada como reflexo do avanço do novo coronavírus (Covid-19) no país. Até então, acontecia sempre entre abril e maio. Apesar de adiantada em virtude da doença, a vacina não imuniza contra o vírus e se trata de uma estratégia do governo federal para ajudar no diagnóstico do Covid-19, já que os sintomas das duas doenças são semelhantes.

Até a antecipação, a campanha era sempre realizada entre abril e maio. Apesar, porém, de adiantada pelo coronavírus, a vacina não imuniza contra o vírus e se trata de uma estratégia do governo federal para ajudar no diagnóstico do Covid-19, já que os sintomas das duas doenças são semelhantes.

Para a imunização, serão disponibilizadas quase 2,6 milhões de doses da vacina trivalente, que protege contra os vírus H1N1, H3N2 e vírus do tipo B. As crianças imunizadas pela primeira vez receberão duas doses, com intervalo mínimo de 30 dias entre elas.

Em Santa Catarina, no boletim mais recente, até 16 de março havia 20 casos de gripe confirmados no estado, sendo: dez por Influenza A (H1N1), sete do tipo B (H3N2) e três em análise de tipagem. Não há registro de mortes provocadas por gripe neste ano.

Etapas

  • 1ª fase – a partir de 23 de março: vacinação de idosos com 60 anos ou mais e trabalhadores da saúde;
  • 2ª fase – a partir de 16 de abril: professores, profissionais das forças de segurança e salvamento, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais;
  • 3ª fase – a partir de 9 de maio: crianças de seis meses a menores de seis anos de idade, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), indígenas, adolescentes e jovens do sistema socioeducativo, presos, funcionários do sistema prisional e adultos de 55 a 59 anos de idade.