Os últimos dias têm sido de despedidas para o padre Bantu Mendonça Katchipwi Sayla, que se sente grato pela acolhida em Laguna. Aos 46 anos de idade, o sacerdote nascido na Angola, país do continente africano, deixa de administrar a Paróquia São Pedro Apóstolo, de Cabeçuda, e assume nas próximas semanas a nova missão – como são chamadas as nomeações de padres na Diocese de Tubarão – de ser vigário-paroquial na São João Batista, em Capivari de Baixo.

Sayla faz uma avaliação positiva sobre o período de quase oito anos à frente da paróquia e diz ter concluído 99,9% de seus objetivos, não tendo conseguido apenas ativar os grupos de jovens. “Chegamos com o propósito de entrar em uma barca que estava caminhando e que tem como comandante do barco, Pedro que é o padroeiro desta paróquia […] e valeu a pena ter estado aqui, tanto na questão humana quanto na espiritual”, comenta.

Antes da experiência à frente de Cabeçuda e as 17 comunidades católicas vinculadas, Sayla teve passagens por paróquias em São Tomé e Príncipe e Angola, no continente africano; pela Diocese de Lorena, em São Paulo; e pelas paróquias de Nossa Senhora da Piedade, São José Operário e São Francisco de Assis, na região de Tubarão.

Acredito ter cumprido minha missão, combatido o bom combate, ter guardado a Fé e terminado com êxito a minha carreira [aqui, em Cabeçuda]

Comunicação em foco e fortalecimento da comunidade

O padre destaca como principais ações feitas as formações de coroinhas, catequistas, ministros extraordinários da comunhão e cursos bíblicos, além da criação do Cerco de Jericó. Além destas, frisa que melhorias nas estruturas físicas das igrejas foram realizadas.

Bantu Mendonça é entusiasta da comunicação e teve passagens por rádios angolanas, onde chegou a ser diretor de uma emissora católica, e pela Rede Canção Nova de Rádio e Televisão, sediada em Cachoeira Paulista, interior de São Paulo, onde atuou no setor de jornalismo.

Em Laguna, assim que chegou à cidade, apresentou por pouco tempo um programa de oração na Rádio Litoral de Imaruí – gerado a partir de um estúdio auxiliar na paróquia de Cabeçuda – e até sábado, 2, comandou o programa ‘Oração do Meio-Dia’, na Rádio Difusora FM.

Esse entusiamo não se resumiu aos meios de imprensa tradicionais. O padre motivou o início de uma pastoral, no âmbito da paróquia São Pedro Apóstolo, voltada à comunicação: a Pascom. As ações pastorais resultaram em um jornal informativo, convertido em 2015 em uma revista mensal com as notícias das igrejas que compõem o distrito paroquial de Cabeçuda.

‘Precisamos permanecer firmes’

No último domingo, 2, Bantu Mendonça rezou a última missa como pároco em Laguna. Ele deixa oficialmente a paróquia de São Pedro Apóstolo na próxima quarta-feira, 5. Ele deve fazer uma reunião dias antes com o padre Avelino Matildes – que, coincidentemente, atuou também na cidade para onde Bantu irá se dirigir – para encaminhar a transmissão de funções.

Questionado qual a mensagem de agradecimento deixaria para os fieis de Cabeçuda, o religioso citou um mantra que carrega consigo: “A frase que sempre digo é: ‘A gente precisa permanecer firmes, fortes, fieis e felizes no cumprimento de nossas missões'”, pontua o religioso.

A posse dele como pároco em Capivari de Baixo está prevista para o dia 16 de fevereiro.

Foto: Ronaldo Amboni/Arquivo