Foto: Roberto Böell Vaz
 

A Udesc, Universidade do Estado de Santa Catarina, que figurou em 2019 nos principais rankings nacionais e internacionais de instituições de ensino superior e também na lista dos órgãos que mais produzem pesquisa, está executando um ousado plano de expansão para resolver as limitações de estrutura da sede do Campus I e do Centro de Ciências da Saúde e do Esporte (Cefid). Além disso, o museu da instituição, o Mesc, fará um investimento de 4,5 milhões para o resgate histórico e a revitalização da antiga escola Antonieta de Barros. Fechada há 10 anos, foi onde a primeira deputada negra do Brasil lecionou e foi diretora. O valor total investido no ano passado, de R$ 92 milhões, foi um recorde, puxado pela aquisição do novo prédio da Oi, no bairro Itacorubi, em Florianópolis, que custou R$ 79 milhões. Somente esta área equivale a 60% do terreno atual da sede. A Esag será uma das beneficiadas, pois duplicará a capacidade física para o ensino, pesquisa e extensão nas áreas de Administração, Administração Pública e Ciências Econômicas no prédio onde hoje funciona a reitoria. O Cead, responsável pelos cursos de graduação a distância, como Pedagogia e Ciências Biológicas, ampliará atividades no novo imóvel, assim como a Biblioteca Universitária. “Daremos um novo fôlego para a universidade que orgulha os catarinenses. Além de formar com excelência nossos alunos, entregamos pesquisa e extensão de ponta para a sociedade. É um retorno preponderante para o desenvolvimento socioeconômico do Estado”, enfatiza o reitor Marcus Tomasi.

Promove o Sul

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) irá destinar R$ 300 milhões para Santa Catarina, por meio do Programa Promove Sul, lançado na quarta-feira (19). O foco é conceder crédito para microfinanças, projetos de inovação, micro, pequenas e médias empresas, agronegócio, energia renovável e sustentável, indústria, comércio. O presidente do BRDE, Marcelo Haendchen Dutra, disse que “a instituição cumpre o papel de banco público que é o de fomentar projetos maiores, de longo prazo de execução, sem forçar o caixa daquele que quer empreender e que em condições normais teria que pagar em um prazo curto, e só se conseguiria capitalizar lá na frente”. Também participaram da reunião os presidentes de várias federações que fazem parte do Cofem e secretários estaduais.

(…) como se pode disparar tiros a esmo, podia ter sido um morticínio (massacre) gigantesco. É ilegal e tem que ter consequências tanto na Justiça comum quanto na criminal.”

Ministro do STF, Alexandre de Moraes, sobre a paralisação de policiais militares em Sobral (CE)

Lucro bilionário A EDP, empresa que detém 25,35% do capital social da Celesc, fechou 2019 com lucro líquido de R$ 1,33 bilhão, valor 5,1% superior ao registrado em 2018. Trata-se do melhor resultado em toda a sua história de atuação no Brasil. O Ebitda ajustado (lucro antes de taxas, impostos, depreciação e amortização) somou R$ 2,264 bilhões, uma alta de 8% em relação ao exercício anterior. “Com a credibilidade dos resultados, iniciamos 2020 preparados para os novos desafios do setor e para seguir numa trajetória de crescimento sustentado”, afirma Miguel Setas, presidente da EDP no Brasil.

Aliança pelo Brasil Dois meses depois de ser lançado por Jair Bolsonaro, o Aliança pelo Brasil só conseguiu validar 0,6% das assinaturas necessárias para ser criado. O Tribunal Superior Eleitoral já validou 2,9 mil assinaturas. Para criar uma sigla, é preciso reunir 492 mil apoiadores. Para concorrer às eleições deste ano, a legenda bolsonarista tem de apresentar todas as assinaturas até o início de março.

Tecnologia Dados da Acate mostram que o mercado de tecnologia de Santa Catarina é um dos mais desenvolvidos do País e responde por 5% do faturamento nacional. São mais de 11.200 empresas – o dobro de seis anos atrás. O segmento emprega mais de 51 mil pessoas, principalmente na Grande Florianópolis, Vale do Itajaí e Norte. “A intenção é desenvolver o setor de maneira mais harmônica”, diz o presidente, Daniel Leipnitz, após o anúncio, em Lages, da criação de um Fundo de Aval pelo BRDE, que vai facilitar o acesso ao crédito. Também foram disponibilizados R$ 50 milhões para projetos inovadores de startups.

A Pixeon, empresa de Florianópolis fornecedora de tecnologia para a saúde, foi considerada a melhor da América Latina. O reconhecimento veio através do prêmio 2020 Best in KLAS for PACS Latin America, realizado pela instituição norte-americana KLAS, que destaca as mais bem avaliadas do segmento. A premiação foi baseada no desempenho do PACS, sistema de comunicação e arquivamento de imagens da Pixeon, que a fez alcançar 91 pontos, quase 8 pontos acima da média do mercado. Algumas das ferramentas implementadas no ano passado que a destacaram no mercado foram o download progressivo, o marcador de vértebras automático por inteligência artificial e a visualização 3D dos exames.