Editoria de Arte/DelLaguna

A Marinha do Brasil apresenta uma série de orientações aos condutores de motos aquáticas. São orientações aos navegantes decorrentes de acidentes com motos aquáticas julgados no Tribunal Marítimo – a corte do mar brasileira. Confira:

1) Habilitação

Assim como acontece quando pretendemos dirigir motos ou carros, também precisamos de uma habilitação para navegar, haja vista o grande número ocorrências de acidentes com condutores sem a devida habilitação, pondo em risco a segurança navegação e da vida humana.

2) Uso de colete

Os modelos “classe V” são coletes aprovados para uso esportivo, em situações de VELOCIDADE e IMPACTO, modelo obrigatório para moto aquática e Banana boat. Em muitos acidentes, fica claro que se o motonauta estivesse fazendo uso do colete, teria diminuído os danos pessoais e em outros casos mais graves, sobrevivido ao impacto do sinistro ou evitado o afogamento.

3) Chave de segurança

A chave de segurança deve ser amarrada ao pulso ou colete do condutor quando estiver pilotando. Lembre-se, após o uso, JAMAIS deixe à chave a vista de outras pessoas ou amarrada na moto aquática.

4) Cuidados com a chave da moto aquática

Sempre que o condutor terminar de utilizar a moto aquática, mesmo que seja uma breve parada, deverá ter o cuidado de retirar a chave da ignição da embarcação. Alguns acidentes se deram por conta da facilitação do proprietário ao deixar a chave na ignição, permitindo que pessoa não habilitada conduzisse a moto aquática e causasse acidentes, em alguns casos, culminando no óbito de banhistas e do próprio condutor. Portanto é prudente ao desligar a moto aquática retirar imediatamente a chave da ignição da embarcação contribuindo assim com a salvaguarda da vida humana no mar. Esta chave deve ficar fora do alcance de outrem.

🚢 Atenção

Ao observar alguma situação que represente risco para a segurança da navegação, para a salvaguarda da vida humana no mar ou para a prevenção da poluição hídrica, procure a Capitania dos Portos, Delegacia ou Agência mais próxima de sua região por meio deste site (clique aqui).

📞 Telefone emergencial da Marinha: 185

Pelo Ato nº 881, de 18 de fevereiro de 2008 da Anatel, foi autorizado o uso do Código de Acesso a Serviço Público de Emergência no formato “185”, para atendimento nos serviços prestados pela Marinha do Brasil, para atendimento da salvaguarda da vida humana no mar, com a designação de “Marinha – Emergências Marítimas e Fluviais”.

Marinha do Brasil – Protegendo Nossas Riquezas, Cuidando da Nossa Gente


CAPITANIA DOS PORTOS é uma unidade da Marinha do Brasil em Laguna, atuante desde 1923, com objetivo de contribuir para o cumprimento das tarefas de responsabilidade da armada, na sua área de jurisdição, como orientar, coordenar e controlar as atividades relativas à marinha mercante e organizações relacionadas, em sua área de atuação.