Foto: Carla Medeiros/Agora Laguna

O orçamento para 2020 das Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc), anunciado oficialmente pela presidência da companhia na capital Florianópolis no começo da semana, prevê que o núcleo Sul deve receber R$ 37 milhões em investimentos. As melhorias  devem beneficiar usuários em Laguna e Pescaria Brava.

Em entrevista ao Portal Agora Laguna (ouça ao fim do texto), o gerente da divisão técnica do núcleo Sul, Zulnei Casagrande, detalhou os investimentos que serão realizados pela companhia na região. “Foi destinada uma boa parcela para o Sul do estado, e dessa forma elencamos melhorias para dar início à execução já em 2020”, conta.

A subestação de Laguna está no radar da companhia para receber ampliação de capacidade e a expectativa é que a obra melhore o fornecimento não só para os moradores do núcleo urbano, como também para comunidades da região da ilha e parte de Pescaria Brava.

“[Vamos] renovar os equipamentos existentes e instalar mais transformadores. Está prevista a duplicação da capacidade da subestação, o que vai garantir a disponibilidade energética. A subestação sozinha não entrega energia, precisa também da reforma e construção de transformadores e está planejado para Laguna uma construção nova, para aliviar a geração para a região do Mar Grosso”, detalha. Ainda não há prazo definido para as obras na unidade lagunense.

Na região da Amurel, a Celesc quer construir uma subestação em Capivari de Baixo, para atender os moradores da cidade termelétrica. A implantação da unidade beneficiaria ainda os residentes em Pescaria Brava e arredores.

Casagrande adianta que melhorias serão realizadas na subestação de Sombrio e na montagem de novas linhas de transmissão para as cidades do litoral e extremo Sul catarinense. O programa Celesc Rural que faz a troca das redes monofásicas para trifásicas está garantido para 2020.

Orçamento alcança R$ 1,2 bilhão

A soma do orçamento 2020 da companhia elétrica chega a R$ 1,2 bilhão, que serão aplicados em investimentos nas áreas de geração, transmissão e distribuição de energia, além do custeio das atividades operacionais e de apoio, de projetos de pesquisa e desenvolvimento e eficiência energética.

“A aplicação dos recursos foi planejada de forma estratégica para atender o crescimento do mercado na área de concessão da Celesc, manter e melhorar os serviços e indicadores da empresa”, detalha o presidente Cleicio Poleto.

Ouça: Entrevista com Zulnei Casagrande, gerente da divisão técnica do núcleo Sul