Equipe de professores e militares do colégio – Foto: Elvis Palma/Agora Laguna

“O Colégio Militar veio para ficar, está dando certo e já é uma grande referência na região”. A fala é do major Peterson do Livramento, que assumiu oficialmente a função de diretor-geral do Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires – Unidade de Laguna e resume a acolhida do sistema de ensino militar no município. A posse aconteceu junto da aula inauguração que marca o início simbólico do estabelecimento de ensino na cidade juliana.

O evento realizado na noite de segunda-feira, 10, no Cine Teatro Mussi, contou com grande público, ansioso para conhecer os 70 primeiros estudantes das duas turmas de 6º ano de ensino fundamental. A seleção ocorreu no final do ano passado em processo de escolha, coordenado pela Polícia Militar.

“Milhares de crianças queriam ter essa oportunidade e vocês foram escolhidos. Muitos municípios queriam ser a sede de um colégio militar, mas Laguna foi a escolhida por ser o mais antigo projeto […] a sociedade abraçou e conseguimos fixar aqui a sede”, disse o coronel Jefer Francisco Fernandes, ex-comandante da PM de Laguna e atual gestor da região policial militar de Tubarão.

A cerimônia foi acompanhada atentamente por pais e responsáveis, equipe do colégio, e autoridades civis e militares. “A gente está orgulhoso de todo o trabalho que há quatro anos vimos empreendendo e é uma realidade. Muitos não acreditavam, achavam que era mentira, eleitoreira, e está aí o Colégio Militar instalado em Laguna. Era um desejo de todos os municípios e nós conseguimos superar as dificuldades que foram aparecendo [para termos a unidade]”, avalia o prefeito Mauro Candemil (MDB).

A aula magna contou com a palestra do jornalista e escritor Luiz Carlos Prates. Declarado defensor do sistema de ensino militar, em sua apresentação destacou a importância da hierarquia, disciplina e da valorização da família. “As famílias estão terceirizando a educação”, lamenta. “Uma escola policial militar encaminha as crianças para o bem e assim teremos uma sociedade melhor”, afirma.

As aulas foram iniciadas na última quarta-feira, 5, com uma recepção aos 70 estudantes no polo de ensino à distância no município. Desde segunda-feira, 10, eles estão recebendo as aulas curriculares.

O colégio funciona provisoriamente no bairro Portinho, enquanto as obras de restauro e ampliação da escola Jerônimo Coelho, no Centro Histórico, não são concluídas. A previsão é entregar o prédio ainda no primeiro semestre letivo.