Arquivo pessoal

O vendedor ambulante Carlos Jonatan Correa, 29 anos, morador de Balneário Arroio do Silva, registrou uma denúncia na corregedoria da Polícia Militar de Santa Catarina, por lesão corporal. Ele afirma ter sido atingido por um tiro de bala de borracha no rosto enquanto trabalhava no Carnaval, durante a madrugada da última terça-feira, 25, na Praça Nelson Moreira Netto, conhecida como Praça do Villa, no bairro Mar Grosso.

Em contato com o Portal Agora Laguna, ele relatou que estava vendendo bebidas em seu carrinho, quando por volta das 3h30, a banda havia encerrado a apresentação no trio elétrico e começou um confronto entre a polícia e alguns foliões. “Eles tocaram uma bomba de gás lacrimogêneo e deram um tiro de borracha em direção à multidão. […]. Alguns foliões começaram a tocar garrafas neles [polícia] e eles começaram a tocar spray de pimenta para todos os lados”, conta.

Carlos em seu depoimento, disse que o spray acabou atingindo seu carrinho, onde estavam sua esposa e a filha de dois anos e meio. Foi aí que ele resolveu ir até os policiais para pedir que parassem de jogar o gás, pois segundo ele, estava sufocando a criança. “Fui na direção dos policiais com um pano branco no rosto e a mão erguida para não oferecer risco nenhum à eles. Foi onde o policial ergueu a arma, […] eu me virei e senti o impacto no nariz e no rosto, logo abaixo do olho”, frisa.

Ouça:

No dia seguinte, Carlos procurou o 19° Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Araranguá, onde registrou o fato como lesão corporal e realizou exame de corpo de delito.

O que diz a Polícia Militar

Segundo o tenente-coronel Rogério Piovesano Bartolamei, comandante do 28º BPM de Laguna, a conduta será apurada. “Tão logo chegue ao nosso conhecimento aqui no 28º Batalhão o teor da denúncia, será aberto o procedimento adequado para apuração dos fatos”, afirma.