Foto: DIC Laguna

Depois de um ano de investigação, a Divisão de Investigação Criminal (DIC), da Polícia Civil de Laguna, divulgou ter concluído na terça-feira, 14, o inquérito policial da Operação Madimbú. A força-tarefa apurava o lavagem de dinheiro, praticado, em tese, por um dos líderes de uma conhecida organização criminosa atuante no estado e por um outro envolvido, que também vinha praticando a venda entorpecentes.

Conforme a DIC, as investigações policiais provaram que o criminoso líder da organização, após fugir de Laguna por causa de um mandado de prisão preventiva (solicitado pela divisão), passou a praticar o crime de tráfico de drogas, à distância, atuando principalmente no bairro Vila Vitória.

Para cometer os atos criminosos, o homem tinha auxílio de laranjas, um taxista local e familiares, passando, então, a comandar e coordenar o tráfico de drogas, concretizado no bairro. Os laranjas ajudavam a ocultar o patrimônio do criminoso para que não fosse levantada suspeita sobre suas movimentações financeiras e patrimoniais.

Ainda segundo a investigação, o criminoso, como contraprestação dos ilícitos cometidos, também utilizou a conta de sua companheira para ocultar valores provenientes do tráfico de drogas, feito por outras pessoas.

A polícia detectou, comprovadamente, que os investigados movimentaram e ocultaram aproximadamente R$ 234 mil, provenientes dos atos ilícitos praticados. Os dois investigados nesta operação, líder e taxista, que praticaram o crime com o auxílio de suas companheiras, estão presos preventivamente, por conta de outras investigações policiais.