Foto: PMP-BS/Divulgação

Resgatadas em estado grave no dia 26 de dezembro, duas gaivotas (Larus dominucanus) foram tratadas com sucesso na Unidade de Estabilização de Fauna Marinha da Udesc de Laguna. Uma delas foi encontrada na praia de Itapirubá Sul em Laguna e a outra foi localizada pela equipe de monitoramento do Instituto Australis, na Guarda de Embaú, em Palhoça.

Segundo a médica veterinária Gabriela Cristini de Souza, do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), “ambas as aves estavam com sinais de intoxicação, permaneciam em decúbito esternal com paresia de membros torácicos e dispneia leve”. As duas gaivotas receberam tratamento de suporte nutricional e antibiótico. Com o passar dos dias foram melhorando o quadro clínico notavelmente.

As gaivotas foram estabilizadas e encaminhadas para a Associação R3 Animal, de Florianópolis, em 4 de janeiro, onde entrarão no processo de reabilitação para retorno à natureza.

Sobre o PMP-BS

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no polo pré-sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.

Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos.

Caso encontre algum animal marinho vivo ou morto, entre em contato com o projeto pelo telefone 0800 642 3341.