O Portal Agora Laguna estreia  mais um espaço para que seja destacado o que a cidade tem de melhor: sua história. Tiramos do papel mais um projeto bacana, em parceira com o professor Rodrigo Bento e aqui rotineiramente nesse espaço, estaremos relembrando grandes momentos de Laguna e personalidades que jamais sairão da nossa memória. Sejam bem-vindos ao Saber Laguna.

Arquivo pessoal / Divulgação

Bento é professor de história há 21 anos, atualmente atua no Colégio Stella Maris, se definindo como uma pessoa apaixonada pela história da cidade. “Neste cantinho, nosso foco será valorizar a história da cidade juliana. Quero muito agradecer o apoio da equipe do Agora Laguna por ceder esse espaço para o conhecimento. Pequenos causos e grandes histórias. Espero que gostem. Afinal de contas Educar é isso!”.

Felippe Buffara, o Folião das Arábias

No decorrer dos anos, vários blocos e sociedades carnavalescas marcaram a história da pequena cidade, que além de carnaval de rua, conta sempre com o tradicional Carnaval de salão. Por entre os foliões, eis que surge a imagem de Felippe Buffara, homem extremamente recatado durante boa parte do ano, mas que nos primeiros sinais das trombetas de Momo, transformava-se em um grande fanfarrão.

‘Seo’ Felippe era o Carnaval em pessoa. Vestido de sheik e portando sua clássica bolsa de confete, deixava um rastro de alegria por onde passava. Todos os anos, na sexta-feira, percorria as ruas da cidade anunciando a abertura do Carnaval, adentrando em lojas, bancos, supermercados, casas, ou em qualquer lugar onde um reflexo momentâneo o levasse. Uma energia tomava conta dele ao ponto de incentivar as pessoas a se caracterizarem nas apresentações do pré-carnaval realizado na época na rua Raulino Horn.

Arquivo

No Banco do Brasil, nosso personagem desempenhou diversos papéis. Nas participações da AABB no pré-carnaval, inicialmente sob o comando do Álvaro Silveira, o Tuta, era grande entusiasta. A estreia dos bancários se deu com a fantasia ‘Anão de Cartola’. Quando da morte do colega, Felippe assumiu as rédeas do bloco da Associação. A famosa ‘Centopeia do Banco do Brasil’ foi sem dúvida a marca registrada desse período.

Entre um gole e outro, os artesãos, que eram os próprios amigos, assessoravam na confecção do bicho.  No dia 3 de junho de 2009, Laguna, sem via de dúvidas, acordava mais triste. Perdera definitivamente uma grande figura. No violão, João Rodrigues Jr. cantarolava ‘Saudades de Laguna’, enquanto recaía sobre o corpo de Felippe uma chuva de confetes, aqueles pedacinhos coloridos de amor que serão sempre lembrados como a marca registrada do bondoso folião das arábias. O texto teve como colaborador o neto do Felippe, o jovem Felipe Buffara Fretta.


RODRIGO BENTO é professor de História há 21 anos e atualmente leciona para os estudantes do Colégio Stella Maris, no bairro Magalhães. Foi editor da revista Saber, que resgatou histórias da cidade, e radialista na extinta Rádio Garibaldi AM de Laguna, apresentando programas voltados à área da educação.

As informações e opiniões expressas não refletem o pensamento do Agora Laguna e são de total responsabilidade de seu autor.