Lagunense Remi Custódio representa cidade na São Silvestre pela 15ª vez

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 352 visualizações,  4 views today

Amanhã, no último dia de 2019, assim como nos últimos 14 anos, o dia vai começar bem cedo para o lagunense Remi da Silveira Custódio, de 58 anos de idade. Isso porque, de maneira pontual às 8h, ele estará em plena avenida Paulista, coração de São Paulo, para disputar mais uma vez a Corrida de São Silvestre, uma das maiores competições de atletismo de rua do país e do mundo.

Tudo isso começou como uma brincadeira, em 2005, de um grupo de amigos logo que Custódio ingressou no Clube de Corredores de Rua de Tubarão (Cortuba). Ele e mais três lagunenses resolveram abraçar a ideia de correr a prova paulista e daí em diante, o personagem desta reportagem não perderia uma competição.

“E se Deus quiser, amanhã, vou tentar completar mais uma vez essa prova, levando a faixa de Laguna”, enfatiza Custódio.

E para quem pensa que o lagunense, criado no bairro Caputera, mas atualmente morador do Progresso, mostra algum arrependimento em ter iniciado a aventura de todos os anos participar da competição paulista, se engana. Muito pelo contrário, ele se orgulha de estar levando o nome da cidade longe, inclusive ele comemora o fato de ter sido filmado por algumas vezes carregando a faixa que diz “Laguna-SC”, durante a transmissão televisiva do evento.

“De lá para cá, consegui todos os anos vir para a prova, me preparando com economias. Compro passagem e reservo hospedagem já entre agosto e setembro. Já se tornou bem tranquilo, então venho com bastante alegria e vontade, para sempre participar”, relembra.

Custódio, que está em São Paulo desde o domingo, 29, afirmou ao Portal Agora Laguna que está na fase de preparação emocional e psicológica. “Sempre venho para cá com objetivo de concluir a prova, assim como foi desde a primeira e espero amanhã conseguir concluir com saúde e receber a medalha. E no percurso, largada, chegada, e até durante, vou fazer a saudação com a faixa. É um motivo de muita alegria representar a cidade dessa forma, no meio de 35 mil inscritos”, comenta o atleta, que recebeu o número 16753.

Raízes atléticas na adolescência

Funcionário público aposentado, Custódio lembra que suas raízes esportivas surgidas na adolescência quando ainda era estudante do antigo Centro Educacional Almirante Lamego (Ceal, hoje escola de ensino médio) e ganhou uma medalha numa olimpíada escolar. Ele conquistou o prêmio depois de ser incentivado pelo professor Salésio Herdt a fazer uma volta de 800 metros no, hoje abandonado, estádio do Laguna Esporte Clube.

Desde a primeira medalha na corrida estudantil, seguiu fazendo provas pela cidade e pela região, e até fora do estado e do Brasil. Custódio já participou algumas meia-maratonas (21km) e cinco maratonas (42km), nas cidades de Florianópolis, Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP) e no Deserto de Atacama (Chile). No último sábado, 28, ele participou da 21ª edição da São Silvelho.

O melhor tempo até hoje em uma maratona que o atleta lagunense conquistou foi de quatro horas e quatro minutos em Porto Alegre, no ano de 2007. Já disputando a São Silvestre, ele fez a prova em uma hora e dezenove minutos em 2005, na sua primeira participação.

Corrida tem 35 mil inscritos

A competição em 2019 chega a sua 95ª edição. A larga inicial ocorre às 7h25, para as categorias cadeirante e cadeirante com guia. Às 7h20, é a vez das mulheres e às 8h05, dos homens iniciarem a prova.

A São Silvelho deve reunir até 35 mil corredores brasileiros e estrangeiros. São 15 quilômetros de percurso. A largada é na avenida Paulista e chegada em frente ao prédio da Fundação Cásper Líbero, no coração da via mais movimentada da cidade de São Paulo.

Notícias relacionadas

Previous
Next