Banda Juízo durante o Bloco do Senadinho, em fevereiro de 2019 – Foto: Elvis Palma/Agora Laguna

Desde a divulgação da programação de shows do Réveillon em Laguna, muitos lagunenses e veranistas que costumam passar os últimos dias do ano na cidade têm questionado a ausência da Banda Juízo. Tradicional grupo musical da terra de Anita, a banda se apresentará por duas vezes na virada de ano em Jaguaruna, município vizinho.

Diante dos questionamentos, o Portal Agora Laguna procurou a banda para ter o posicionamento e entender as razões que levaram ao Juízo deixar de se apresentar no palco da cidade juliana.

“Embora sejamos sempre muito bem recebidos em toda a região Sul do país por onde tocamos, e isso nos faz sermos muito gratos, nossa maior alegria, claro, é estarmos em casa, entre a nossa gente. Porém, neste ano, recebemos uma proposta com muita antecedência pra fazer duas datas em um município vizinho [Jaguaruna]. Como aqui em Laguna, a chamada para o evento demorou para ser feita e, por causa de uma mudança no processo de contratação, corríamos o risco de ficar de fora, acabamos aceitando a proposta para garantir que não ficaríamos parados”, explica o vocalista Marcus Paulino Teixeira, o Marquinhos. A banda também emitiu nota de esclarecimento sobre o assunto (veja abaixo).

O músico explica que em momento algum a banda disse que deixaria ou que não teria interesse de tocar nos eventos de virada de ano em Laguna. Teixeira relata que até meados desde ano a contratação era por meio de inexigibilidade em virtude da tradição da banda – que tem mais de duas décadas de palcos.

“Na verdade, para resumir, não é que não queríamos estar aqui em Laguna. Foi uma questão de planejamento mesmo. Mas, temos certeza que será uma festa muita bacana, como sempre tem sido. Laguna merece”, finaliza Teixeira.

Leia a nota da Banda Juízo

O Juízo nunca afirmou que “não quer tocar em Laguna!”

Muito embora nós sejamos muito bem recebidos por todo sul do país por onde tocamos, o que nos faz sermos muito gratos, nossa maior alegria é estarmos em casa, entre nossa gente, porém, este ano recebemos uma proposta com muita antecedência para tocarmos várias datas, além do Réveillon, em municípios vizinhos. Aqui em nossa cidade a chamada demorou a ser feita para as inscrições e contratações de bandas, deixando incerta nossa participação. Lembrando que até meados de 2019 nossa contratação, devido a longa história e material específico que a banda possui, era por inexigibilidade.

O Juízo queria muitíssimo estar aqui com vocês, mas foi uma questão de planejamento, pois além da virada em Jaguaruna, nós e Trio Treme Terra, estaremos fazendo o pré carnaval em Balneário Camboriú, Braço do Norte e Jaguaruna, e dessa forma, julgamos estar representando bem nossa amada cidade lá fora. Sempre que tocamos fora da nossa casa, gritamos o nome de Laguna, nossos blocos e convidamos o público à conhecer nossa cidade e nosso carnaval.

O Juízo é de Laguna! Com pouco mais de 26 anos de estrada possui 5 lagunenses da sua formação inicial. Temos o maior respeito e carinho, que é recíproco, por nossa cidade, nossos amigos, seguidores e contratantes.

Temos a certeza de que a virada será uma festa muita bacana, como sempre tem sido. Laguna merece o melhor!

Estaremos, Juízo e Trio Treme Terra, dia 01 de janeiro às 20h, em frente ao Kek Surf Shop. Venham curtir o lançamento do abadá do Bloco Senadinho.

Já estamos com saudades de vocês e nos encontraremos em breve.

Secretário diz que ‘para contratar uma banda direta, tem que ter reconhecimento’

Em entrevista à Rádio Difusora, na manhã desta segunda-feira, 30, o secretário de Turismo e Lazer de Laguna, Evandro Flora deu a versão dos fatos pela ótica da prefeitura. “Não sei como eles fizeram, se foi sem licitação ou se encontraram uma maneira de contratar um trio ou uma banda de maneira direta. […] Para contratar uma banda direta, ela tem que ter o nome nacional e estadual”, disse.

E completou: “O Juízo é uma banda de Laguna com reconhecimento regional e até já comentei com o Marquinhos para fazer esse processo de reconhecimento da banda, porque eles já têm CD, tem música própria… eles podem ter isso, pelo menos regional e aí eu não precisava mais de chamamento, contratava diretamente”, explicou o gestor durante o ‘Jornal da Manhã’, da emissora local. Ainda de acordo com o secretário, o planejamento licitatório do Réveillon em Laguna iniciou no mês de outubro.

Jaguaruna: ‘Foi muito positivo termos conseguido trio e banda’

Em Jaguaruna, a contratação do Juízo ocorreu via pregão, conforme informou o secretário de Esporte, Turismo, Juventude e Eventos do município vizinho, Iberê Aguiar, à reportagem do Portal. “Assumi a pasta em julho e a partir de agosto iniciamos o projeto do ‘Verão Jaguaruna’, fazendo as tomadas de preços e os pregões necessários”, detalha.

Aguiar comemora, ainda, o fato de a cidade ter feito a contração do Trio Treme Terra e do Juízo. “Foi muito positivo termos conseguido o trio [Treme Terra] e a banda, porque já conhecemos os dois desde a época em que fomos secretário em Laguna [gestão 2013-2016]”, comenta, acrescentando que não há uma expectativa de público, mas que as praias da cidade estão todas lotadas.