Foto: Elvis Palma/Agora Laguna/Arquivo

Tudo começou com uma viagem para visitar os parentes na Grécia em 1992. Ao retornar, além da emoção de visitar a terra natal, Efstathios Anastasiadis – o ‘seo’ Estácio como era mais conhecido – trouxe na bagagem várias plantas para Laguna.

Ele plantou em diversos lugares da cidade, na rótula do Portinho, na do Cine Mussi, no Magalhães também. Mas foi no canteiro em frente à sua lanchonete King’s, no Centro Histórico, defronte à lagoa Santo Antônio, que as flores gregas germinaram com mais vigor e resistiram ao tempo e às ações de vandalismo.

Foram mais de 20 anos cuidando do canteiro, que evoluiu e virou praça. Estácio só deixou de cuidar das plantas quando os sinais da idade começaram a aparecer anos atrás e o afastaram do ‘hobby’ de jardineiro.

“Como tinha esse espaço, ele começou a plantar. Não tinha quase nada ali, falou com a prefeitura e trouxeram terra, alguns clientes também doaram materiais”, relembra o comerciante Jorge Anastasiadis, filho do saudoso jardineiro, que acrescenta que o pai sempre doava flores, mudas, e folhas para chá.

Ao falar do pai, Jorge diz que herdou vários dons do ‘seo Estácio’, mas lamenta não ter conseguido capturar o talento que o ‘pequeno grande homem’ tinha para a jardinagem.

“Eu ficava olhando ele ali. Quando ele parou, tentei, plantei, mas as flores não vingaram. Ele, em uma vez só, plantava com carinho e já enraizava. O homem realmente era incrível, a mão dele era especial para plantar as flores”, lembra, emocionado.

Efstathios Anastasiadis morreu em 19 de outubro e seu nome foi aprovado pela Câmara de Vereadores para que possa ser eternizado como nomenclatura da praça que sempre cuidou.

Para o prefeito Mauro Candemil (MDB), o homenageado teve um trajetória marcante na sociedade lagunense. “Foi incentivador de que plantássemos mais flores por nossos jardins, que é o que estamos fazendo na praça da matriz. É cidadão honorário de Laguna e por tudo isto e muito mais é que a praça leva o seu nome”, pontua. “Fico feliz por ele ser lembrado como um homem que sempre gostou de flores, sempre foi apaixonado por natureza, e por Laguna principalmente”, finaliza Jorge.

Foto: Elvis Palma/Agora Laguna/Arquivo