Divulgação

Cinco toninhas já sem vida foram encontradas por equipe de campo da Udesc de Laguna no começo da tarde desta quarta-feira, 9, na Praia do Sol. Os animais estavam enterrados.

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), que recolheu os animais após acionamento, informou no fim da tarde que as análises iniciais indicam morte por afogamento causada pelo fato de as toninhas terem ficado presas a uma rede de arrasto, usada no cerco para captura de corvina, onde dois barcos levam os cabos com a rede.

Informações recebidas pela reportagem do Portal Agora Laguna, indicam que ao menos uma das toninhas estava grávida e que elas podem ter sido enterradas ainda vivas. O PMP-BS confirmou os fatos.

Divulgação

Toninhas podem ser confundidas com botos

As toninhas são ameaçadas de extinção no Brasil e pela sua aparência podem ser facilmente confundidas com botos-pescadores. A espécie é considerada o menor golfinho de cetáceos.

Uma das principais causas de sua morte está na pesca acidental, quando elas não são o alvo da pescaria. Ao ficar presa em uma rede, não só as toninhas como também outros animais marinhos, não têm como respirar e acabam morrendo por afogamento.

Como acionar o PMP

Caso algum animal marinho vivo ou morto seja encontrado, entre em contato com o projeto pelo telefone 0800-642-3341. O acionamento permite o deslocamento de uma equipe de veterinários e pesquisadores ao local para resgate dos espécimes.

O PMP-BS é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.


Atualizado às 19h30.