Um dos capítulos mais tensos e críticos da história do recente do Hospital de Caridade Senhor Bom Jesus dos Passos começa a caminhar para seu desfecho desde as primeiras horas da manhã desta quinta-feira, 25. Se, até meio-dia, não houver definição quanto ao pagamento dos funcionários, os profissionais da unidade hospitalar – única que funciona em Laguna – vão iniciar a segunda greve geral em menos de três anos.

A ideia de uma paralisação tomou força na sexta-feira, 20, quando os servidores convocaram assembleia geral para discutir o assunto. Segundo relatos feitos à reportagem do Portal Agora Laguna, o clima naquele dia era desolador na unidade. Sem se identificar, um funcionário comentou que um de seus colegas havia dito que esperava receber o pagamento para comprar alimentos para a família. “O que eu vou levar agora?”, teria questionado aos demais servidores.

A situação dos trabalhadores é crítica. Conforme apurou a reportagem, eles estão com uma parte do 13º em atraso do ano passado, além de 35% do salário do mês de julho e o salário integral de agosto. A expectativa é que com a entrada do recurso do Estado catarinense, na casa de R$ 351 mil, os vencimentos de setembro sejam pagos na primeira semana de outubro.

Na segunda-feira, 22, quando o estado de greve foi deflagrado (legalmente deve se esperar 72h para o início da paralisação), dos 148 funcionários da entidade, cerca de 86 já haviam aderido ao movimento. Conforme a presidente do sindicato, Denise de Matos Freitas, a participação de quase a totalidade do quadro funcional é esperada pelo órgão.

Com a paralisação iniciada a partir do meio-dia, o hospital atenderá apenas casos de urgência e emergência de caráter grave, isto é, que haja risco iminente de morte.