Foto: Elvis Palma/Agora Laguna

Quem passou pela rodoviária de Laguna na tarde de quarta-feira, 11, pôde presenciar o passado e o presente caminhando, ou melhor, estacionando lado a lado. Dois ônibus distintos e uma mesma finalidade: transportar passageiros, histórias e promover encontros. A única diferença entre os dois é a idade, um tem mais de quarenta anos de estrada e o outro está começando a rodar, saiu de fábrica faz pouco tempo.

A responsável por promover esse encontro entre o passado e o presente das estradas foi a Empresa Santo Anjo da Guarda – hoje sediada na capital catarinense – que atua no transporte interestadual de passageiros, e que escolheu a cidade juliana para apresentar aos seus usuários, o novo ônibus integrante da frota.

O coletivo apresentado em Laguna é do modelo Double Decker, ou seja, tem dois andares. “A Santo Anjo traz novidades para a linha e lança o ‘Experience Bus’ fazendo esse roadshow, que é como a gente chama, vindo de Florianópolis até Porto Alegre [apresentando os ônibus]”, comenta o gerente de Marketing da Santo Anjo, Agnaldo Fischer, que adianta: “Já fazemos projeções para 2020 com renovação da frota e modernização dos demais que estão na empresa”.

Para o gerente local, Mário Giovani, a apresentação em Laguna foi um motivo de orgulho. “É um orgulho fazer parte dessa história há 27 anos, transportando passageiros e cargas. E hoje, recebendo esse G7 [ônibus novo] e a relíquia é emocionante”.

O novo e moderno ônibus é o Paradiso 1800 DD, fabricado pela Marcopolo, que está na sétima geração e oferece ao passageiro tudo o que é necessário para uma viagem com inteiro conforto. Entre as novidades estão: internet à bordo, entretenimento, poltronas com acabamento em couro diferenciado, por exemplo.

Arraste as setas para comparar os dois modelos de ônibus

Retrovisor da história: ônibus de 1977 mantém viva a memória da empresa

Se por um lado a Santo Anjo apresenta um dos mais modernos ônibus do mercado para o século XXI, a empresa permite aos passageiros relembrar o que de havia na ponta em matéria de transporte há mais de 40 anos.

Fabricado em 1977, o Marcopolo III tem quase a mesma idade da rodoviária municipal e já rodou por muitos lugares do Sul do Brasil. É considerado o primeiro ônibus-leito da empresa.

Preservado com todo o cuidado, mantém ainda as características de época: bancos, letreiro, pintura original e até cinzeiro (sim, em 1977 podia fumar cigarro no ônibus; mas não podia charuto, como indica uma placa existente no veículo).

Se em 2019, a Santo Anjo oferece uma cafeteira à bordo e outras opções de conforto para o passageiro. 40 anos atrás, a novidade era uma mini-geladeira, como se fosse um frigobar, atrás da poltrona do motorista.

“Cheguei a dirigir este ônibus. Eu trabalhava na linha até Florianópolis. Cafezinho quente era na garrafa térmica”, relembra, tímido, o motorista Valdir Luiz Canonica, mais antigo funcionário com 33 anos de empresa, que veio dirigindo, tanto o novo, quanto a relíquia. “Dirigir ele de novo é matar a saudade”.

Quando o ônibus chegou em Porto Alegre (RS) – a Santo Anjo hoje pertence ao grupo gaúcho Sogil, dono também da Visate, de Caxias do Sul –, Fischer conta que se surpreendeu com a quantidade de busólogos (fanáticos por ônibus) fotografando o veículo. “Se encantaram mais pelo antigo que pelo veículo novo”, diz.

Antes de Laguna, a demonstração dos dois veículos aconteceu em Florianópolis, Garopaba, Tubarão, Osório, Criciúma, e Imbituba.

Veja a visita da reportagem aos dois ônibus


Galeria: Passado e presente juntos, lado a lado