Foto: Elvis Palma/Agora Laguna

Funcionários do Hospital de Caridade Senhor Bom Jesus dos Passos iniciam a partir das 12h desta segunda-feira, 23, estado de greve na instituição que vem passando por grave crise financeira. A entidade, que está atendendo apenas urgências e emergências há cerca de um mês, tem dívida estimada em pelo menos R$ 9,6 milhões e, como informou em nota, se não houver injeção de recursos que cubram seu déficit mensal, a paralisação total pode ser “inevitável” (leia a nota ao fim do texto).

A decisão foi tomada durante esta manhã, após encontro com o sindicato da categoria em frente ao setor de emergências, que contou com a presença de quase 80 funcionários. Por força de lei, é decretado a princípio, estado de greve de 72 horas, até a próxima quinta-feira, 26, ao meio-dia. Após esse prazo, se nada for resolvido, a greve é deflagrada por tempo indeterminado.

Foto: Elvis Palma/Agora Laguna

Em seguida os trabalhadores vestidos de preto saíram em passeata pelas ruas do centro histórico para pedir apoio das esferas públicas para a entidade, terminando com uma rápida reunião com a secretária de Saúde, Valéria Oliveir. Segundo apurado pela reportagem do Portal Agora Laguna, nesta segunda a secretária repassou verbas à casa hospitalar.

“Foram repassados ao hospital R$ 360 mil referente a produção do mês de agosto”, destaca a secretária Valéria Olivier. O valor só foi passado hoje por causa de problemas no sistema na última sexta. O recurso do governo estadual na casa de R$ 351 mil deve entrar no caixa a partir desta semana.

“Nós tivemos uma reunião [nesta sexta] com os funcionários para explicar como estava a situação, que não tínhamos conseguido receber nenhum recurso da Secretaria de Saúde hoje, que era a nossa esperança para pagar pelo menos uma porcentagem e infelizmente não foi possível”, lamentou a diretora administrativa, Cheyenne de Andrade Leandro, na última sexta-feira.

Funcionários lamentam situação

O estado lamentável das finanças do hospital preocupa, principalmente, os profissionais que atuam no hospital. Atualmente, a casa hospitalar trabalha com 148 funcionários, dos quais 86 se manifestaram favoráveis à greve e outros devem aderir ao movimento durante a semana.

Sem se identificar, alguns funcionários relataram que estão em delicada situação financeira. “Na reunião de sexta, um deles chorou. Disse que iria voltar para a casa com comida, mas o salário não saiu. Ele olhou para a gente e perguntou: ‘O que eu vou levar agora?'”, contou um dos profissionais.

Segundo apurou a reportagem, os funcionários estão com uma parte do 13º em atraso do ano passado, além de 35% do salário do mês de julho e o salário integral de agosto. A expectativa é que com a entrada do recurso do Estado catarinense, os vencimentos de setembro sejam pagos na primeira semana de outubro.

Como fica o atendimento

A partir do meio-dia de quinta-feira, vão ser mantidos apenas os atendimentos de urgência e emergência e, mesmo assim, será realizada triagem para avaliar se o paciente corre risco iminente de morte. O prazo de 72 horas é para que os órgãos públicos possam se mobilizar e definir ações para suprir a ausência da estrutura hospitalar do Senhor Bom Jesus dos Passos.

“Não podemos deixar ninguém morrer”, frisa a presidente do Sindisaúde de Tubarão, Denise de Matos Freitas, que representa os profissionais que atuam em entidades médicas da região. 

Com a greve, serão atendidos apenas os casos com risco iminente de morte, após triagem realizada por um enfermeiro no setor de emergência. “Vai ficar um profissional responsável para fazer essa triagem do paciente que chegar. Se for avaliado o risco ele vai ser atendido e se precisar de uma internação ou uma transferência, o hospital vai estar fazendo esse trâmite”, destaca Stefany da Silva Virgínia, funcionária da unidade e uma das organizadoras das manifestações.

‘Paralisação iminente’, diz presidente

Em nota de esclarecimento divulgada à imprensa no começo da tarde, o médico Fernando Henrique Pache, presidente do hospital, expôs à público a situação financeira da entidade. Segundo o gestor, o déficit mensal da unidade passou de R$ 90 mil para R$ 285 mil ao mês, o que não tem sido coberto pelos recursos que vêm entrando no caixa.

Nas próximas semanas, além dos R$ 360 mil que foram injetados nesta segunda, o hospital deve receber, o recurso de R$ 351 mil (referente ao convênio do Estado com entidades filantrópicas de Santa Catarina) e R$ 78 mil (de emenda parlamentar impositiva do deputado federal Jorge Boeira (Progressistas)).

Pache diz na nota que essas entradas de fundos em caixa pode oxigenar o funcionamento da entidade, possibilitando um atendimento normal. “[No entanto] Chama-se a atenção que, não ocorrendo incrementos de novos recursos, nas próximas semanas na ordem de R$ 285 mil mensais. Em dezembro, o hospital de Laguna entrará em colapso financeiro e sua paralisação total será inevitável”, disse o presidente no texto.

Em agosto, a auditoria do hospital apontou que a unidade, única da cidade com 164 anos de funcionamento, não tem viabilidade financeira.

Leia a nota de esclarecimento

O Hospital de Caridade Senhor Bom Jesus dos Passos. vem a público expor o estado critico de sua situação financeira.

De acordo com o estudo de viabilidade, até maio/2019 o Hospital de Laguna vinha apresentando receitas totais de 685 mil e custos e despesas no montante de 785 mil, resultando em um déficit mensal de 90 mil reais.

Do total das Receitas de 685 mil, 590 mil eram recursos para atendimentos pelo SUS. Dos recursos para atendimento pelo SUS, R$ 464 mil eram provenientes do Governo Federal, R$ 8,3 mil do Governo Estadual e R$ 119 mil do Governo Municipal.

Infelizmente, em junho a Controladoria Geral Da União, cortou o repasse de R$ 64 mil reais referentes aos leitos de retaguarda. Em julho este mesmo órgão bloqueou outros 84 mil reais referente ao psicossocial, e agora em setembro o Hospital está deixando de receber 52 mil reais em função da nova forma de contratualização considerar a produção do mês anterior como base do valor de repasse.

Considerando as perdas de recursos mencionadas acima, atualmente o Hospital está apresentando receitas totais de 500 mil reais mensais e custos/despesas de 785 mil, resultando em deficit mensal de 285 mil reais.

Do total das Receitas de 500 mil, 410 mil são recursos para atendimentos pelo SUS. Dos recursos para atendimento pelo SUS, R$ 282 mil são provenientes do Governo Federal, R$ 8,3 mil do Governo Estadual e R$ 119 mil do Governo Municipal.

Atualmente os colaboradores estão com uma parte do décimo terceiro do ano passado em atraso, além de 35% do salário do mês de julho e o salário integral de agosto. Os médicos da mesma forma, também estão com 35% dos honorários de julho e os honorários integrais de agosto por receber.

Cabe ressaltar que um convênio entre o Governo do Estado e 110 Hospitais Filantrópicos. contemplará o Hospital de Laguna com 351 mil reais e inicialmente este valor seria dividido em 4 parcelas. Felizmente o Governo Estadual demonstrou sensibilização e está liberando os R$ 351 mil reais em parcela única e deverá ser destinado exclusivamente para o pagamento da folha salários dos empregados de setembro que será paga no início de outubro.

Vale frisar que para a liberação deste recurso, o Hospital estava encontrando algumas dificuldades por não possuir certidão negativa junto a Celesc e Casan, que de acordo com um Decreto de 2017, as entidades filantrópicas que apresentassem mais de 50% de taxa de ocupação estariam dispensada de apresentar, mas infelizmente o Hospital de Laguna possui 46.85%. Mais uma vez o Governo Estadual agiu e está revogando o Decreto e publicando um novo Decreto reduzindo de 50% para 40% a taxa de ocupação para que o Hospital de Laguna consiga enquadrar-se e receber os recursos.

Ainda se ressalta que o Hospital possui uma emenda parlamentar do Deputado Jorge Boeira por intermédio do Vereador Preto Crippa, no valor de R$ 78 mil reais para compra de medicamentos, que também está prestes a ser liberada, dependendo de trâmites burocráticos junto a Prefeitura.

Tão logo sejam liberados o recurso estadual de 351 mil reais e a emenda parlamentar de R$ 78 mil do Deputado Jorge Boeira para compra de Medicamentos, o Hospital estará voltando a atender normalmente.

Mas infelizmente chama-se a atenção que não ocorrendo incrementos de novos recursos nas próximas semanas na ordem de R$ 285 mil mensais, em dezembro/2019 o Hospital de Laguna entrará em colapso financeiro e sua paralisação total será inevitável.

Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna