Foto: Elvis Palma/Agora Laguna

Um cenário que se reflete em todas as prefeituras do país, também atinge o município de Laguna. A baixa arrecadação enfrentada atualmente pelo Executivo vai fazer com que a administração passe a tomar medidas drásticas nos próximos dias.

Entre as ações, estão a exoneração de cargos comissionados, cortes em horas extras e outras medidas que ainda serão analisadas. A informação foi confirmada pelo Portal Agora Laguna, em entrevista com o prefeito Mauro Candemil (MDB). “Tudo relacionado a arrecadação que não vem acontecendo de acordo com a meta prevista, hoje acumulada em 68,09%. Para garantia do cumprimento de obrigações pecuniárias como folha, fornecedores e terceirizados estão sendo adotadas várias medidas de contenção de gastos e, concomitantemente, também de recuperação da receita”.

Segundo dados da Secretaria de Administração, Finanças e Serviços Públicos do município, em 3 de setembro, a prefeitura contava com 199 cargos comissionados, destes, 29 efetivos em cargos de comissão.

“A receita e despesa têm que ser compatíveis. […] Sem perspectiva imediata de recuperação, para continuar honrando com nossos compromissos de pagamentos assumidos e a assumir é necessário imediata redução dos custos, sem afastar as providências legais de aumentar a receita, ainda mais que estamos próximos do fim do exercício de 2019. A conta tem que fechar”, pontua Candemil.

De acordo com a secretária de Administração, Finanças e Serviços Públicos, Luciana Pereira, a quantidade de cargos que serão exonerados ainda não foram definidas. “Existem planos de ação, corte de gastos, Refis e o Programa de Modernização da Administração Tributária e de Gestão dos Setores Sociais Básicos (PMAT)”, salienta a gestora.

A definição das medidas a serem tomadas estão sendo debatidas entre o gabinete, jurídico e controle interno e devem ser adotadas em breve. “Tivemos despesas altas, de emergência, porém, a receita estava estimada. Quanto as demissões eu não tenho gestão, bem como contratações”, finaliza Luciana.

Nota de repúdio

No último sábado, 8, a Associação dos Motoristas da Prefeitura de Laguna (Ampla), postou em sua página nas redes sociais, uma nota de repúdio sobre o corte de horas extras. Leia:

Na última sexta feira, vários motoristas foram pegos de surpresa com a ligação, informando que a partir de segunda-feira, não seriam mais pagas as horas extras dos motoristas. Tal medida de “redução de gastos”, prejudicará de forma direta vários motoristas pais de família. Através da diretoria da AMPLA, repudiamos a atitude do prefeito municipal, acreditando que existem várias maneiras de reduzir gastos. Esperamos que o prefeito municipal Sr. Mauro Vargas Candemil, reavalie e solucione esse impasse, pois somos uma categoria que sempre desempenhou o nosso trabalho com comprometimento e dedicação em prol do município.

À Diretoria da AMPLA