Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna

O Hospital de Caridade Senhor Bom Jesus dos Passos é uma entidade deficitária e inviável financeiramente. A conclusão é do relatório da auditoria da empresa Atual Contábil, contratada pela direção da casa hospitalar para aferir as contas e apresentar um diagnóstico sobre a saúde contábil do hospital, que foi apresentado à sociedade lagunense na noite desta segunda-feira, 26.

Fundado em 1855, a entidade convive com uma dívida estimada em R$ 9,6 milhões – sem acréscimo de juros e correções monetárias. “Quando nós olhamos o desempenho do hospital, verificamos que hoje, para que a entidade possa manter suas atividades e cobrir seus custos seriam necessários um aumento [de repasse] no valor de R$ 100 mil mensais”, detalha o auditor Marcos Rebelo.

Porém, para o especialista, mesmo havendo esse incremento de repasse, a receita precisaria alcançar quase R$ 300 mil ao mês, para que pudesse fazer frente às dívidas contraídas anteriormente. Rebelo explicou na apresentação que parte do montante devido aconteceu pelo fato de o hospital ter priorizado determinados pagamentos em detrimento de outros.

“A situação é crítica justamente pelo fato de o hospital não conseguir cobrir seus custos e despesas e ter um endividamento passado altíssimo, [com isso] infelizmente não vem conseguindo pagar os compromissos assumidos”, afirma Rebelo, que pontua que existe a possibilidade paralisação das atividades do hospital. “No momento, a situação financeira do hospital está péssima. Então tem de se fazer a contenção de despesas”, resume o presidente da instituição, Fernando Henrique Pache.

Atualmente, quase a totalidade da receita do Senhor Bom Jesus dos Passos vem dos pagamentos dos convênios do Sistema Único de Saúde (SUS), que responde por um valor de 86% de repasses de manutenção, conforme a auditoria. O término do contrato que garantia a distribuição dessa verba em 30 de julho, motivou a suspensão dos atendimentos eletivos, com a continuidade das urgências e emergências, há uma semana.

A renovação do acordo depende da liberação da Certidão Negativa de Débito (CND) obtida pelo hospital na última quinta-feira, 22, por meio de via judicial, o que deve acontecer nos próximos dias, quando termina o prazo dos trâmites burocráticos previstos legalmente.

Auditoria do hospital de Laguna atraiu sociedade ao auditório da Udesc – Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna

Próximos passos

Para Pache, o norte a ser tomado pela entidade depende da confirmação da CND federal. Um plano de recuperação da viabilidade econômica está em elaboração pela administração hospitalar.

“Nesse plano está incluso a busca de mais recursos tanto municipal, quanto estadual e federal”, adianta Pache. “Além de procurar outros financiadores para o hospital. Como por exemplo, um centro de diagnóstico melhor, um pronto-atendimento para convênios particulares, atrair mais profissionais de uma forma, quem sabe, com a compra de um raio-x para o centro cirúrgico”, completa.

A ampliação dos repasses financeiros foi debatida no encontro com o deputado Felipe Estevão (PSL) e a secretária de Saúde de Laguna, Valéria Olivier, que sinalizaram a possibilidade real de incremento nas verbas para a manutenção da entidade.

Pache pontua que não há uma data para que seja previsto o retorno pleno das atividades do Senhor Bom Jesus dos Passos.

Reveja a coletiva