Vídeo: Rumo ao Alasca, casal de aventureiros de Criciúma passa por Laguna

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 80 visualizações,  4 views today

Se uns pensam que colocar tudo o que for possível dentro de um carro, uma van, ou qualquer outro veículo e sair viajando por mundo à fora pode parecer loucura. Para o casal Luiz e Solange Rodrigues, fazer isso é uma grande aventura. Os dois, depois de uma passadinha pelo ‘fim do mundo’: Ushuaia, na região extrema da Argentina, decidiram rodar com a kombi ‘Aurora’ e o cãozinho Marley até o Alasca, nos Estados Unidos. Antes, porém, estiveram alguns dias ‘estacionados’ em Laguna.

Ele é de Criciúma e ela, do Balneário Rincão. Há alguns anos, em uma das três viagens – de moto – que Luiz teve que fazer para ir com a amada à um camping na Lagoa dos Esteves, surgiu a ideia de rodar por aí. Apareceu a necessidade de ter um veículo que comportasse as necessidades básicas. Luiz pensou em kombi e por um momento achou que seria o primeiro a inventar a moda, no entanto uma rápida procura na internet mostrou o contrário. Isso não desanimou o espírito aventureiro que também contagiou Solange.

“Ele falou para mim que era para os finais de semana”, relembra a aventureira. “Na minha cabeça não era só para o final de semana. Já tinha a ideia de conhecer o mundo. A gente sempre sonha com liberdade e essa foi nossa maneira de escapar, sair das amarras e conquistar a liberdade com a kombi”, justifica Luiz.

Antes de sonhar com os mais variados locais da América, o casal fez algumas pequenas viagens, como ‘teste’ para itinerários mais longos, como o escolhido desta vez. “A gente vai dar uma voltinha logo ali, estamos indo para o Alasca. E as pessoas perguntam: ‘Mas, Alasca? Não é nos Estados Unidos?’ [e eu respondo] Estamos indo”, conta Solange.

Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna

Rotina registrada no Youtube

O casal faz questão de registrar todos os momentos e divulgar em redes sociais e principalmente em um canal no Youtube, o Na Rota de um Sonho: um mundo de possibilidades – que tem mais de sete mil inscritos, contados desde o início do projeto em março de 2018.

Isso acabou motivando a passagem pela terra de Anita. “Sabemos que Laguna é uma cidade histórica, bonita e linda. É um dos lugares maravilhosos que as pessoas têm que conhecer. E como temos o canal, nada mais justo que fazer imagens”, afirma Luiz, que lamenta não ter conseguido fazer imagens aéreas com drone, por conta do vento. “A gente quer divulgar Laguna e mostrar para todo mundo”, completa. O casal segue em breve para outras cidades litorâneas da região como Imbituba e Garopaba.

Para auxiliar nos custos da viagem, a dupla de aventureiros pensou em comercializar alguns produtos alimentícios orgânicos, mas resolveu abandonar a ideia já que, mesmo seguindo padrões de produção higiênicos, havia certo receio “do pessoal de fora.

“Começamos a fazer bijuterias, vulgo artesanatos, e tem dado super certo. A pessoa vem por que quer conhecer a kombi. Se encanta e diz que tem desejo de fazer o mesmo, mas não tem condição ou coragem e pensa: ‘Ah! Não posso ir, mas vou ajudar, comprar uma pulseirinha, um correntinha…’. E assim, graças a Deus, lá fora nós conseguimos nos virar.”, diz Solange.

De acordo com ela, em terras brasileiras a receptividade e apoio tem sido grande. “Em Laguna, principalmente, tanto os turistas como os moradores tem vindo e ajudado”, pontua a aventureira.

‘A gente adora a estrada’

Ao serem questionados sobre a saudade de uma rotina com uma casa fixa, os dois concordam que a experiência de rodar pelo mundo preenche qualquer sensação de falta da ‘terra firme’. “A saudade que temos é da família. Mas, de uma casa fixa, eu particularmente não sinto. Estamos muito felizes: a nossa casa é pequena, mas nosso quintal é enorme”, diz Luiz.

“Às vezes na estrada eu ficava pensando ‘pegar uma semana e ficar na frente da televisão, na chuvinha, dormindo em uma caminha’. Mas a gente tem tudo isso, tem a cama, a TV e também chove. A gente ficou uns dois meses parado em uma casa esperando um casamento [de conhecidos], compromisso que a gente tinha [em Criciúma]”, relata Solange. “Estava tudo muito bom, uma delícia, mas a gente não via a hora de voltar para a estrada. A gente adora a estrada”, finaliza a aventureira.

Foto: Arquivo Pessoal

Notícias relacionadas