Foto: Gustavo Tasso/Arquivo Pessoal

A música clássica sempre fez parte da formação de Gustavo Tasso Borges Fernandes e seguindo o caminho das notas musicais, ele viaja para Porto Seguro (BA) neste sábado, 06. Aos 26 anos, o jovem lagunense foi um dos 38 selecionados, entre 145 inscritos, para participar da quinta edição da Academia Canto em Trancoso. O curso tem duração de seis dias e será realizado entre os dias 07 e 13 de julho na cidade baiana.

Para se inscrever, os candidatos tiveram de preencher um formulário extenso com perguntas, além de enviar currículo completo e vídeo se apresentando em inglês e catando duas árias – peças solo de óperas ou oratórios. “No meu caso, apresentei uma ária do oratório “Magnificat de Bach” e a ária “Il Mio Tesoro” da ópera Don Giovanni de Mozart”, conta o jovem lagunense, que é o único representante catarinense.

“Essa seleção significa uma grande conquista para mim. Sinto-me bastante honrado em poder representar meu estado em uma academia de canto com participantes de todo o Brasil”, comenta Fernandes, que se declara fã das composições mozartianas. “Também estou bastante ansioso em poder dar o meu melhor, pois vejo nessa seleção a oportunidade de poder aprimorar a técnica e a interpretação durante uma semana através de masterclasses com os renomados professores Lucia Duchoňová, Marcel Boone e Renate Arends, algo que certamente irá contribuir muito na minha formação como cantor lírico”, pontua.

O Academia Canto em Trancoso terá participação de bolsistas do Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo. A organização é do Mazerteum Brasileiro, em parceria com a Chorakademie Lübeck, da Alemanha, sob direção do maestro Rolf Beck com master classes ministrados pelos professores proeminentes.

Os estudantes que se destacarem serão selecionados para um período adicional de estudos na Alemanha, em 2020.

O tenor

Aos nove anos de idade, Fernandes iniciou seus primeiros estudos em teoria musical e piano no antigo Conservatório Lagunense de Música, sendo acompanhado pelas professoras Maria Teresa Remor e Mirian Mombach Loch. Apesar de ter iniciado cedo, o jovem diz que ficou afastado dos instrumentos durante a adolescência e garante que sempre mantendo a intenção de um dia voltar a estudar o piano.

“Aprendi a gostar desde pequeno com meu pai, que sempre foi um grande apreciador da música erudita. Lembro dos LPs e CDs dos grandes compositores que ele ouvia, durante a minha infância. Além disso, ele conta que colocava Mozart para eu ouvir quando eu ainda era bebê. Pelo visto, funcionou! Sou um grande admirador do compositor austríaco”, conta o jovem, que começou a ter seus primeiros contatos, como aluno, com esse gênero musical aos nove anos de idade.

Formado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), foi incentivado, durante o curso em 2013, voltou a estudar teoria musical, piano, harmonia e solfejo com a prima, a pianista Maria Olívia Rodrigues, na capital catarinense. Nessas aulas, conheceu o método prático de canto Vaccai e, pegando gosto pela música erudita, começou a ter aulas de canto lírico com a soprano japonesa Masami Ganev, na Camerata Florianópolis.

O jovem lagunense ingressou como tenor no coro Polyphonia Khoros, em Florianópolis,  em 2017, onde atualmente realiza solos sob a regência do maestro sueco Per Ekedahl. Ano passado, junto com o octeto do grupo florianopolitano, foi até o Rio de Janeiro para participar de gravação do projeto Sonora Brasil, desenvolvido pelo Sesc, além de ter integrado o elenco da ópera-rock Frankenstein, de Alberto Heller.”Fui classificado, no último mês, para cantar como reservista com o coro da Camerata Antiqua de Curitiba (espero ser chamado em breve para realizar concerto com eles). Todas essas conquistas foram obtidas através da realização de audições”, destaca Fernandes.

“No momento, estou preparando o papel de Don Ottavio para montagem reduzida da ópera Don Giovanni de Mozart realizada pela escola de música Camerata Florianópolis em uma única récita, dia 03 de outubro no Teatro Álvaro de Carvalho em Florianópolis”, finaliza o jovem.

Foto: Gustavo Tasso/Arquivo Pessoal