Conheça Boris, um boto diferente

Arquivo pessoal
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 148 visualizações,  20 views today

Quem conhece o Molhes da Barra sabe que ali acontece uma interação única entre o ser humano e o reino animal. Princesa, Espinafre, Figueiredo, Scooby, Jade, são alguns dos chamados botos da espécie Tursiops truncatus que auxiliam os pescadores da região a conseguirem o pão, aliás, o peixe de cada dia. Mas desde abril do ano passado, um novo boto, intrépido e bem humorado apareceu nas águas do complexo lagunar e vem causando – ele atende pelo nome de Boris.

Ao contrário dos demais botos que habitam o Canal da Barra, o personagem da reportagem não foi descoberto por pesquisadores ou flagrado pelas inúmeras equipes de documentários que já registraram as cenas únicas ali vistas. Foi o jovem ilustrador lagunense Giovan Monteiro Albino, 25 anos, a mente criativa responsável por trazer ele à vida.

Foto: Arquivo Pessoal

“Ele surgiu da vontade de ajudar a fazer com que a pesca artesanal com o auxílio dos botos tenha o devido reconhecimento. As pessoas, às vezes, não percebem a singularidade do evento por verem acontecendo todos os dias, eu tento abrir alguns olhos sobre isso. Além disso, o reconhecimento gera a consciência de preservação, algo extremamente importante num momento crítico como este para uma espécie tão ameaçada”, explica.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Boto Boris (@botoboris) em

A criação do humorado boto tem como um dos incentivos, o fato de seu criador ser morador de Barranceira, bairro que tradicionalmente vive da pesca. “Apesar de meus pais ou avós não serem pescadores, vim de uma comunidade que tem uma forte relação com a lagoa e desde pequeno tive bastante contato com a cultura pesqueira”, conta. Sobre o nome do personagem, Albino diz que procurou algo que fosse forte, soasse bem e começasse com o prefixo “bo”.

O protagonista estrela histórias em quadrinhos que retratam situações do cotidiano de Laguna ou da região a partir do ponto de vista dos botos. Algumas das tirinhas trazem referências à filmes, séries e outros itens culturais, sempre com bom muito humor. “A tirinha precisa ser de fácil entendimento, ter um toque de humor e caber em no máximo quatro quadrinhos, isto dificulta muito o processo de criação”, detalha. Durante a Festa da Tainha, realizada no dia 15 de junho, Boris ganhou um estande para animar os participantes do evento.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Boto Boris (@botoboris) em

“Cada tirinha tem um público específico, algumas são para os mais jovens, algumas das histórias são para os mais velhos ou apenas para as pessoas que moram em Laguna”, destaca o lagunense ao falar sobre o público-alvo das tirinhas. Boris já fez ‘tour’ por Laguna durante as chuvas de maio, mostrou que os botos ficam mais ‘gordinhos’ na safra da tainha e, dentre muitas outras situações, alertou para a preservação da espécie.

As tirinhas do animado boto, que é psiquiatra, humorista, carnavalesco, podem ser conferidas semanalmente no Jornal de Laguna, onde surgiu publicamente pela primeira vez em 30 de abril de 2018, ou em seu próprio perfil na rede social Instagram (clique aqui), que já tem quase 2,6 mil seguidores.

O autor

Acadêmico de Arquitetura e Urbanismo, Giovan Albino conta que desenha desde criança e tem nas ilustrações uma forma de se expressar. “Sempre tive facilidade para criar e fui evoluindo com o tempo. Estou sempre estudando e buscando me aperfeiçoar”.

Albino atua profissionalmente na área administrativa do Porto de Imbituba e também faz alguns trabalhos como frila de designer gráfico. Dentre outras tentativas de criação, Boris foi o primeiro personagem, diz o ilustrador, que saiu do rascunho e o qual se dedica mais atualmente.

“Às vezes fico uma hora com uma folha em branco nas mãos buscando uma ideia, outras vezes em um minuto eu já tenho tudo em mente. A parte gráfica é mais fácil, em meia hora tenho o desenho pronto e colorido”, finaliza o lagunense falando sobre o processo de criação das histórias em quadrinhos.

Primeiros esboços de Boris – Foto: Arquivo Pessoal