Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna

Uma caminhada na manhã desta terça-feira, 02, chamou a atenção dos lagunenses para a importância da conscientização sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA), condição que afeta cerca de 70 milhões de pessoas no mundo, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Realizado pelo quinto ano na cidade, a passeata, feita entre a Igreja Matriz e o Cine Mussi, foi organizada pela escola Elizabeth Ulysséa Arantes e contou com a participação de mais de cem pessoas, entre pais, professores, estudantes e comunidade local. “Nosso objetivo é cada vez instruir mais os lagunenses para que a conscientização sobre a inclusão quanto ao autismo aconteça”, afirma Jociane dos Santos, mãe de um dos alunos da escola organizadora.

Ainda de acordo com ela, está em formação uma associação de pais e amigos dos autistas que deve ser criada oficialmente nos próximos meses, para lutar pela defesa e pelos direitos dos portadores da condição. “Enquanto família, um dos nossos objetivos é lutar contra o preconceito”, explica.

O autismo ou TEA, é marcado por ser um conjunto de síndromes caracterizado por problemas no desenvolvimento da linguagem, nos processos de comunicação, na interação e também no comportamento social da criança.

Os sintomas do autismo são: fobias, agressividade, dificuldades de aprendizagem, dificuldades de relacionamento, por exemplo. No entanto, vale ressaltar que o autismo é único para cada pessoa. Existem vários níveis diferentes de autismo, até mesmo pessoas que apresentam o transtorno, mas sem nenhum tipo de atraso mental.

A conscientização sobre o TEA feita no dia 02 de abril foi instituída há 12 anos pela OMS, visando chamar a atenção para a situação das pessoas portadoras da condição.

Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna