Foto: Ilhacom/Farol da Ilha/Agora Laguna

O protesto que paralisou o transporte aquaviário entre a região da ilha e a cidade de Laguna terminou por volta das 14h45, deste sábado, 02. Os manifestantes iniciaram o movimento às 9h30, pedindo a redução da tarifa cobrada pela empresa concessionária do serviço ou a concessão de desconto para os moradores das comunidades de Santa Marta e entorno que fazem uso do trajeto diariamente.

“A reivindicação está focada na concessão de desconto aos moradores locais, sem aumento de valores aos demais moradores de Laguna e aos visitantes”, explica Maria Aparecida Ramos, uma das integrantes do movimento União da Ilha, que convocou a manifestação. Enquanto durou o protesto, apenas veículos de emergência e segurança tinham passagem liberada. A Polícia Militar fez a segurança do movimento.

De acordo com informações do jornal Farol da Ilha, o protesto contou com cerca de 60 manifestantes que exigiam a presença do prefeito Mauro Candemil, o que não aconteceu, como havia sido adiantado pela prefeitura em nota oficial divulgada na sexta-feira, 1º, a prefeitura (Veja abaixo). Uma nova manifestação deve acontecer na terça-feira, 05.

Nota da prefeitura de Laguna sobre a manifestação

A Administração Municipal comunica aos munícipes sobre a manifestação promovida pela Coordenação da UAPI – União das Associações de Pescadores da Ilha que deverá ocorrer no dia 02 de março de 2019 (amanhã), às 9 horas, em frente ao Atracadouro da Balsa, do lado sul da Ilha.

A mobilização é motivada pela insatisfação com o atual valor da tarifa para a travessia do Canal da Barra.

A Administração Municipal está ciente e vem mantendo tratativas com o Ministério Público, a operadora do transporte aquaviário e também representantes da UAPI, a fim de viabilizar uma fórmula legal de concessão de desconto para os usuários da Ilha, que utilizem cotidianamente aquele meio de transporte.

A solução depende de equacionar uma tarifa módica, sem prejuízo do equilíbrio econômico financeiro do prestador do serviço, bem como, sem impor aos cofres públicos subsídios que onerem em demasia o erário.

Tal fórmula depende da análise de variáveis de custos que, no momento, aguardam informações requisitadas à operadora, no Inquérito Civil instaurado (IC N. 06.2019.00000834-4, v. cópia anexada) pelo Ministério Público, depois da última reunião ocorrida em 18/02/2019.

A mobilização da UAPI de manifestação em prol da referida reivindicação, se pacífica, é um direito assegurado, desde que não interfira no direito de ir e vir dos demais cidadãos que necessitem se locomover.

O Município já comunicou os órgãos responsáveis pela garantia da ordem pública, de modo a assegurar que a anunciada manifestação não colida com o direito de ir e vir naquela travessia.

Diante das tratativas já realizadas, não haverá interlocução do Município durante a manifestação, que esperamos ocorra de modo ordeiro e pacífico, ressalvando-se que eventuais prejuízos ou excessos em relação ao ente público e aos Município serão apurados após o Carnaval.

Foto: Polícia Militar/Agora Laguna