Relato publicado nas redes sociais por Andreia Esser, no domingo, 17, vem chamando atenção. Segundo ela, na manhã do mesmo dia, a filha foi mordida por um cachorro que estava na Igreja Matriz Santo Antônio dos Anjos de Laguna.

“Quase no final da missa um cachorro de rua que lá estava, que por sinal, tinha dois [sic], mordeu minha filha. Estávamos em pé e o cachorro deitado na nossa frente, e de repente, ela encostou na pata dele sem querer e ele mordeu duas vezes o pézinho [sic] dela”, disse a mãe na internet.

Andreia relata que levou a filha ao hospital, pois a criança chorava de dor. “Será que é melhor defender os cachorros e não poder retirar da igreja ou ter uma criança, teu filho, com o pé mordido e chorando com muita dor?”, questiona. Até a publicação da matéria, o relato da mãe tinha alcançado mais de 300 comentários.

A situação não é de hoje, conforme o padre Lenoir Steiner Becker, pároco da matriz. “Encontrar um local mais adequado para esses pobres animais seria uma possível saída. Não é somente nas imediações da igreja matriz. Na praia do Mar Grosso muitos estão soltos”, comenta o religioso.

Os cães de rua são um problema crônico em todo município. Inúmeras reclamações são feitas semana a semana sobre os animais que ficam largados ao relento nos logradouros da cidade.

“Não temos canil, então não haverá, pelo menos por enquanto, recolhimento desses animais de rua. A gerência de bem-estar animal atende diariamente denúncias de maus tratos, atuando de forma educacional com os cuidadores nos quesitos de alimentação, higiene, saúde, espaço físico e cuidados em geral que se deve ter com os bichinhos”, explica Patrícia Paulino, secretária de Pesca e Agricultura de Laguna.

A responsável pela pasta, diz que na última semana aconteceu a licitação da clínica veterinária para prestar serviços à gerência. “Agora estamos no processo de compra de microchips que serão implantados nos animais castrados para controle dessa população, onde iremos atender cães e gatos (errantes, comunitários e de pessoas de baixa renda), machos e fêmeas de variados pesos e tamanhos. Além disso, também ficaremos cobertos quanto aos atendimentos emergências para animais errantes e comunitários, com consultas, exames, internação e eutanásia em último caso”, afirma Patrícia.

Quanto aos cachorros que adentram a igreja matriz, Steiner Becker conclui: “A igreja permanece aberta durante o dia… Eles entram sem problema nenhum”.