Foto: Labzoo/Udesc/Divulgação/Agora Laguna

As tentativas de pesquisadores do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) e de agentes da Polícia Militar Ambiental, para se aproximarem do filhote de boto-pescador que apareceu sem vida nas águas do canal da Barra, pela manhã, na região da travessia da balsa, seguem na tarde desta segunda-feira, 17.

Mas um fato que vem chamando a atenção é que a mãe do animal está em “estado de luto”, e vem fazendo resistência à aproximação dos profissionais. Desde às 10h, sempre que algum pesquisador chega perto, ela sobe em cima do filhote e o afunda na tentativa de escondê-lo.

O professor da Udesc Laguna, Pedro Castilho, que é coordenador do PMP-BS, explica que os especialistas correm contra o tempo, uma vez que “quanto mais o tempo passa mais os tecidos se degradam e a qualidade das análises ficam prejudicadas”.

Os pesquisadores estão monitorando o filhote e mãe e dependendo da resposta comportamental dela, a equipe os deixarão sozinhos, sem intervenção. Segundo o PMP-BS, o boto, que havia sido registrado como o sexto nascimento da espécie Tursiops truncatus, agora é contabilizado como a nona morte em Laguna, que detém o título de “Capital Nacional do Boto-Pescador”.