Foto: Polícia Civil/Divulgação

Na manhã deste sábado, 24, a Polícia Civil de Santa Catarina, por intermédio das Delegacias de Polícia de Imaruí e Imbituba, com o auxílio da DIC de Laguna, da DPMU de Pescaria Brava e da Polícia Militar de Santa Catarina, deflagrou a Operação Fim da Linha II, cumprindo 15 mandados de prisão. A ação foi decorrente de recurso impetrado pelo Ministério Público de Santa Catarina contra decisão que colocou em liberdade os presos na Operação Fim da Linha.

Durante a Operação Fim da Linha, em abril de 2018, foram presos 19 criminosos, além de um adolescente, na ocasião também foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão.

No decorrer do processo criminal, uma decisão polêmica do Poder Judiciário de Imbituba revogou as prisões de 18 investigados que ainda estavam presos. Os 18 acusados foram beneficiados por liberdade provisória no dia 15 de novembro, mediante o cumprimento de medidas cautelares diversas da prisão (por exemplo o uso de tornozeleira eletrônica).

Diante de tal situação, o Ministério Público interpôs recurso em sentido estrito e, além disso, protocolou perante o Tribunal de Justiça de Santa Catarina pedido de efeito suspensivo.

Na tarde de sexta-feira, 23, o Tribunal de Justiça de Santa Catarina acatou o pedido liminar, revogou a decisão proferida pelo magistrado da comarca de Imbituba e determinou nova prisão de todos os investigados.

Imediatamente, após a decisão do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, a Polícia Civil, que já vinha monitorando os criminosos, montou uma força tarefa e deflagrou a Operação Fim de Linha II. A ação contou com cerca de 40 policiais Civis e Militares que atuaram nas cidades de Imaruí e Imbituba.

De acordo com o Delegado Raphael Rampinelli, responsável pela operação “dos 18 criminosos que receberam o benefício, seis deles continuaram presos por responderem a outros processos. Além disso, apenas em Imaruí, onde se encontravam 10 integrantes do grupo, foi possível realizar a prisão de nove deles. O resultado foi excepcional: apenas três traficantes não foram localizados nesta manhã, mas acreditamos que serão presos nas próximas horas.”

Foto: Polícia Civil/Divulgação